Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 91 textos. Exibindo página 6 de 10.

25/02/2013 - Bis

Bis. Bis com aplausos. Bis de cantorias. Bis de chocolate branco, preto, de limão, de caramelo, de frutas vermelhas. Bis de sonho. Bis de tuti-fruti. Bis de romance. Bis de beijo. Bis de afago. Bis de pecado. Bis de bons momentos. Bis de salário. Bis de leitura. Bis de liberdade. Bis de vontade e de força de vontade. Bis de bombom. Bis de sorte. Bis de final-de-semana. Bis de cura. Bis de cachaça. Bis de parto. Bis de novidade. Bis de recomeço. Bis de folclore. Bis de festa. Bis de abraço. Bis de colo. Bis de deus. Bis de nuvem. Bis de drama. Bis de trama. Bis de cama. Bis de comunhão. Bis de saudade. Bis de ternura. Bis de expectativa. Bis de luz. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/02/2010 - Boas-vindas a Pena Branca

"Oh Deus salve o oratório
Oh Deus salve o oratório
Onde Deus fez a morada, oiá, meu Deus
Onde Deus fez a morada, eiá"

Foi cantando assim baixinho, num tom meio caipira, que seu Antônio penteou o cabelo depois de tomar um banho de luz bem demorado e colocou sua melhor túnica (os anos de evolução espiritual fizeram com que suas roupas terrenas fossem esquecidas). Toda essa produção foi para receber Pena Branca que, depois de 70 anos de caminhada, partiu em busca de outros sertões. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

12/02/2015 - Boataria

Há rumores por toda parte se estendendo da costa do Pacífico ao planeta Marte sobre um possível romance entre o poeta andante e a princesa do reino distante. Há quem pergunte diretamente e quem sonde, rodeie, imagine... O fato é que os olhares tanto para o homem-poesia quanto para a menina dos olhos estrelados nunca mais foram os mesmos. Há sempre um leque de interrogações, palavras invasivas e muitos flashes. Dizem que os versos são dedicados ao rosto, ao corpo, ao jeito dela. Ora essa, o poeta não pode mais escrever sobre amor, saudade ou desejo que tudo é imediatamente dirigido à princesa que, segundo boatos, passaria o dia lendo e relendo tais textos. Falam até que o vassalo das palavras já deitou na cama real. Também contam que a princesa havia posado completamente nua para um poema. Entre tanto disse me disse há quem postule que já moram juntos, dividem o espelho do banheiro e adaptam um quarto do castelo para receber o bebê de sangue azulado. Antes diziam que o poeta era alado e que a princesa tinha um lado malvado. Habituados aos julgamentos e às fofocas, o poeta segue com suas poesias e a princesa com suas princesices...


Comentar Seja o primeiro a comentar

17/11/2010 - Boca adormecida

Quantos hologramas se escondem nos lábios da mulher que dorme ao lado. Ao lado do homem, do mundo, do tempo que passa. A cor dos lábios ganha uma textura orvalhada, como se dormisse ao sereno. A temperatura dos lábios é desconhecida, afinal, tocá-los é um risco, uma vez que o sono é tão delicado quão a mulher. E eis a tentação, a prova de um amor que superara o físico, velar o sono dos lábios da mulher amada sem despertá-la num beijo. Que os beijos sejam lançados à distância, no auge da contemplação. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Boca chabernet

Onze horas da manhã. O cabelo molhado, emaranhado e colado ao início das costas. O olhar varre o guarda-roupa. Depois de tanta procura, descalça e de hobby, vai para a sacada. Seu olhar ganha a linha paralela do horizonte. Paralela? Paralela com tantas coisas. Lembranças brincam de correr por aquela linha, brincam de escorrega, brincam de gangorra, brincam de pique - esconde. Lembranças.

Por debaixo daquela linha, paralela a um mundo distante, os olhos quase se afogam em um lago. É preciso ter cuidado e equilibrar o olhar naquela linha. Embora de águas calmas, ninguém sabe os perigos que habitam aquelas águas azuladas. Seres fantásticos podem existir ali. E talvez seja em busca desses seres que aquela mulher entrega olhares à varanda. Quase 12h e as piscinas do hotel, que se acabam antes do lago, continuam vazias. Nenhuma criança, nenhuma cena de beijo, nenhum copo carente de sol. Ninguém. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

12/03/2014 - Boca divina

Se deus fosse um beijo, seria a sua boca. Se deus morasse realmente no céu, moraria no céu da sua boca. Se deus fosse mulher, teria a sua boca. Se deus tivesse uma criação predileta, seria, sem dúvida, a sua boca. Se deus falasse com a língua dos contos de fada, o era uma vez e o foram felizes para sempre viriam da sua boca. Se deus roubasse, roubaria beijos de sua boca. Se deus deixasse de ser deus, seria batom para seguir na sua boca. Se deus perdesse a fé, bastaria ele escutar seu nome da sua boca. Se deus se permitisse se marcar, seria com o contorno da sua boca. Se deus tivesse cor, apareceria com os tons da sua boca. Se deus ficasse com água na boca, seria da sua boca. Se deus fosse mortal, renasceria pela sua boca. Se deus sonhasse, não iria querer acordar para permanecer na sua boca. Se deus comesse, comeria direto da sua boca. Se deus dormisse, seria de lado voltado para a sua boca. Se deus pecasse, seria na sua boca.


Comentar Seja o primeiro a comentar

02/06/2012 - Boca fechada

A duras penas, aprendi a viver em silêncio. De tanto falar a ouvidos não gratos, hoje caminho de lábios serrados. Minha língua não fala a língua dos homens, mas a língua das pedras. Somente as pedras estão a salvo de fofocas, invejas, calúnias e outros males causados pela língua. Hoje eu falo mais comigo do que com qualquer outra pessoa. A quietude é minha nova identidade. Meus verbos vivem às sombras e minhas canções são entoadas caladas como a lua.

Não há outro remédio para evitar o mal do que silenciar. Cale-se de manhã, de tarde, de noite. Os ouvidos alheios têm espinhos que quase sempre ferem suas palavras. Falar demais é se despir totalmente. E criaturas despidas são frágeis, vulneráveis, mortais. A fala em demasia empobrece o espírito, porque a tendência daqueles que lhe escutam é roubar o conteúdo e o significado das suas palavras. Ouça um bom conselho: guarde suas palavras antes que se perca delas. Palavras perdidas são vidas caídas....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/06/2011 - Boca florida

Quando eu toco em sua boca sinto camadas e camadas de flores compondo seus lábios. Sinto, entre um beijo e outro, as pétalas, as folhas, o pólen, as abelhas, os espinhos, as cores, o sereno, a renda. Sinto margaridas bem pequenas, alfazemas cheirosas, azaléias ensolaradas e damas da noite mescladas de lilás. Sinto flores feitas à mão por um anjo artesão. Algumas espécies se alastram por seu sorriso, outras se encolhem num canto da boca. Flores que murcham ao serem atingidas pelos cristais de sal das lagrimas que, vez ou outra, derrama mesmo sem querer. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

12/03/2011 - Bocejos lunares

Boceja a lua recostada no pé direito de uma casa de esquina. Tem desejos de mulher e olhar de menina aquela criatura curvilínea, redondamente atraente. Não tem medo de descer do céu para amar no meio da rua, feito o casal de namorados que beija com sabor de pipoca. Tomou coragem e tatuou um livro inteiro de Garcia Marques em uma de suas crateras e se pôs a espera de alguém que pedisse sua mão (e um pouco mais) para São Jorge.

Como queria deitar numa cama e ser acordada só na noite seguinte não importando se estrelas ou cometas questionassem sua ausência longa e súbita. Fria como a brisa que caminha pela madrugada queria se embrulhar em lençóis, beber uma bebida quente e dormir de conchinha. Queria ser chamada de “minha” no meio de um eclipse. Queria dançar com meteoritos de carne em passos de elipse. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

26/03/2013 - Bodas de lã

Sete. Sete pecados capitais. Sete maravilhas do mundo. Sete virtudes divinas. Sete chaves fecham um segredo. Sete mares. Sete velas. Sete gênios persas. Sete artes. Sete yogas. Sete ciências naturais. Sete palmos. Sete súplicas do Pai Nosso. Sete anjos dos sete céus. Sete falas de Cristo na cruz. Sete linhas da Umbanda. Sete dores de Nossa Senhora. Sete notas musicais. Sete raios. Sete cores do arco-íris. Sete sacramentos. Sete chakras metafísicos. Sete vidas do gato. Sete ondas para pular o ano. Sete dias da semana. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   4  5  6  7  8   Seguinte   Ultima