Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 3 textos. Exibindo página 1 de 1.

02/11/2008 - Zé do Tacho ou Zé do Túmulo?

"Olha a goiabada! Olha a goiabada cascão! É coisa fina, senhora. É coisa que ninguém mais acha, senhor". De forma cantada e com um sorriso açucarado, Zé do Tacho chama a clientela para desfrutar de suas goiabadas na banquinha da feira. Ofício passado de pai para filho, há muitas gerações, aquele José havia completado 68 anos de doceiro no último dia 29. Para fazer justiça a Romeu e Julieta, também produzia uns queijinhos minas. Era difícil quem resistia àquela tentação. Tinha freguesia certa, mas sempre chegava alguém querendo experimentar de sua mão boa. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

30/12/2011 - Zerar

Zere suas dívidas, principalmente aquelas as quais você é o principal credor. Zere suas pendências, encarando tudo o que lhe levou a fugir ou esconder o ano todo. Zere seus sonhos, sonhando tudo de uma vez sem qualquer moderação. Zere sua fome, dando de comer ao seu estômago, ao seu cérebro, ao seu coração. Zere seus medos, tornando-se seu próprio herói. Zere sua realidade, a partir de uma overdose de fantasia. Zere suas lágrimas, abrindo as comportas do pranto. Zere seus tempos, de modo que os relógios percam suas funções....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

31/03/2008 - Zuuuuuuuummmmmmmmmmmm

Não questiono a criatividade divina, mas qual a razão da existência do pernilongo (muriçoca)? Com seus pulmões magros, ele vive a soprar um canto magro de suas pernas magras. De tanta magreza, uma sinfonia gorda ganha os ouvidos de suas vítimas. Sua sinfonia ardida e irritante só é interrompida com uma chuva de aplausos. É palmas e palmadas para lá e para cá.

Há quem vasculhe o quarto antes de dormir, milímetro por milímetro, caçando essas criaturas atrás da cômoda, dentro do guarda-roupa e até debaixo da cama. Há quem coloque aparelhos com pastilhas envenenadas em todas as tomadas. Há quem não viva sem um mata-moscas à mão. Há quem durma embebido de óleos repelentes pelo corpo. Há quem reze para ter uma noite sem eles. Há quem feche portas e janelas e perfume o quarto com inseticidas....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar