Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 91 textos. Exibindo página 3 de 10.

11/11/2015 - Bate no peito caboclo

Bate no peito caboclo que é. Pede respeito, grita sua fé. Bate no peito índio cacique pajé. Avisa que chegou e que a luz já raiou. Não deixa mal algum de pé. Bate no peito e faz trovoada. Leva todo ódio, olho-gordo, maldição a bater em revoada. Bate no peito com seu jeito próprio. Bate no peito para despertar todo amor que há. Bate no peito e faz estrondar. Faz o seu canto e com o seu encanto jaz o meu pranto. Evolução do guerreiro que bate no peito se fazendo inteiro. Bate no peito como quem bate numa árvore acordando sua natureza. Bate no peito como quem bate na pedra chamando o que há para além da sua dureza. Bate no peito como quem bate no coração evocando sua pureza. Bate no peito caboclo que é. E não é caboclo qualquer. Bate no peito levantando toda vida dos ninhos, dos leitos, das fogueiras, das cachoeiras, das pedreiras, das matas inteiras, dos caminhos de deus. Bate no peito e que as coisas ruins digam adeus.


Comentários Comentários (2)

18/12/2010 - Bateau Mouche

Minha vida afunda nos seus olhos fundos da dor que lhe inunda. Meus passos naufragam em seus braços seguindo o compasso das ondas. Ronda você os meus dias como maresias de um mar que me quer a pique. Replique as minhas vontades que já vão dentro de garrafas, litros de saudade e solidão, à procura de olhares, cidades e salvação. Seu vento a revés rasga meu convés. Entre um país basco e um adeus monegasco aperta-me rompendo o meu casco. Com seu jeito de menina você me leva a mil léguas submarinas. A tragédia anunciada e as bailarinas d’água. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

02/09/2010 - Bater um tambor

Vamos bater um tambor, meu amor, que a noite é de lua cheia. Vamos bater um tambor, meu amor, incendeia. Vamos bater um tambor, chamar o preto velho e o caboclo roncador. Vamos bater um tambor, tomar banho de flor, de mato e de pipoca. Vamos bater um tambor, e fazer macumba e fazer kizumba falando de amor. Vamos bater um tambor, dançar com Iansã, caçar com Oxossi, sorrir pra Xangô. Vamos bater um tambor, meu amor, pedir ajuda para o babalaô. Vamos bater um tambor, senhora, pro senhor do tempo. Vamos bater um tambor, senhora, no terreiro de dentro. Vamos bater um tambor, rodar a saia e segurar nas palmas. Vamos bater um tambor e lavar as almas. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

01/02/2010 - Batizados um para o outro

A sua boca me batiza a cada beijo livrando-me do pecado original. Em nossa cama nos banhamos de prazer como numa pia batismal. O amor nos faz cruzes fechando seu corpo ao meu. Em nome desse sentimento renuncio ao mundo e ao que mais precisar. Renuncio ao demônio da solidão, ao demônio da separação, ao demônio da sofreguidão. E creio em seu sexo como instrumento de libertação.

Motivados pela nossa ligação carnal, espiritual, transcendental quantos anjos nos povoam e nos abençoam e nos apregoam seus mandamentos, seus juramentos, seus sacramentos. Que os sacerdotes nos casem a cada minuto, que nosso coração soe como fruto proibido, bendito fruto. Ah! Que nossos corpos lado a lado se iluminem e se guiem queimando como círio pascal. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

02/03/2008 - Beba Vinícius de Moraes

A lua me devora no céu. Tropeço em páginas escritas, mal-escritas e em branco. Corro para a sala. Caio entre versos de amor e de amor demais. Abro a porta da estante. Garrafas e mais garrafas. Preciso encontrá-la. Vinhos, conhaques, espumantes, vodkas... Ela tem de estar aqui... Eu tenho certeza de que ela... Ninguém mexeu aqui... Preciso ser rápido... Ah! Lá está ela... Uma garrafa de uísque quinze anos. Não há tempo para pensar. Tiro o lacre e despejo aquele líquido quente e encorpado em um copo largo. O vidro espesso e octogonal vai perdendo toda a transparência. Aquele álcool escocês escorre pelas bordas. Por maior o desejo, não o bebo. Eu não poderia... Não aquele uísque. Ofereço aquele líquido a um altar improvisado. Ao contrário de imagens, um livro de poemas. Seja como for, ofereço aquele uísque aquela espécie de orixá. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/06/2012 - Bêbado de sonhos

Sonho que é sonho não perde a validade. Corre rio, quebra mar, cai chuva, passa tempo e o sonho, que é de verdade, continua valendo. Há sonhos que ralham, que perdem a vitalidade, mas, que com um pouco de cuidado e boa-vontade crescem do dia para a noite. Sonhos não precisam ter aparência inteira, perfeita, impecável, para serem fortes. Basta ver a lua minguante, que mesmo faltando um pedaço, é soberana no céu.

Há sonhos que com o avançar dos anos ficam mais encorpados como bons vinhos. E é sempre válido se embebedar de um ou de outro sonho. Bêbado de sonhos, eis o ápice da existência. Dizem que sonhar não custa nada. Porém, sonhar custa tempo, espaço, energia exterior e interior. Mas quem se importa em entregar tudo o que tem e o que é para viver um sonho? Sonhar é fabricar o seu próprio mundo, manipular seu destino, existir pra valer....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/03/2013 - Bebedeira

Bebo seus olhos de gelo no meu copo de uísque. Bebo seus problemas sem fazer cara feia. Bebo seus desejos nas horas mais quentes. Bebo suas loucuras para me libertar do tédio. Bebo seu coração numa taça de sangria. Bebo seu calendário, dia após dia. Bebo sua alma num drinque dividido com o demônio. Bebo suas imagens e miragens. Bebo sua boca em beijos de fazer a razão trocar os passos. Bebo os sonhos que ficaram em seu travesseiro. Bebo suas particularidades e seu eu mais inteiro. Bebo sua cintura em meio a uma dança. Bebo seus traumas e complexos. Bebo sua poesia deixando-me embriagar por suas frentes e versos. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/07/2008 - Bebendo Darcy Ribeiro

Mesmo diante do advento da lei seca e do bafômetro rolando de boca em boca igual paixão em época de carnaval, não tenho com o que me preocupar. Afinal, só bebo Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Garcia Marquez, Carlos Drummond, Fernando Pessoa e tantos outros 20 anos blues. Hoje mesmo vou beber uma dose caprichada de Darcy Ribeiro e o convido, caro leitor, a sentar-se nessa mesa sociológica comigo.

Para começar, vamos nos embebedar daquela famosa máxima darcyniana: "só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar". Assim como o filósofo mineiro, não vou me resignar nunca. E o Brasil deveria fazer o mesmo. Não deveríamos renunciar ao direito de ser feliz, de ter esperança, de sonhar com um mundo melhor, de amar numa mais que completa falta de limites... Por que vamos deixar que coloquem travas, freios, amarras, barreiras ao nosso desejo de "ser"?...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/05/2008 - Béééééééé!

A nossa política financeira anda em ritmo de tartaruga, cochila feito urso em período de hibernação e tem o ânimo de uma preguiça. A nossa política monetária, com os maiores juros de todo o mundo, é puramente recessiva e vive para restringir investimentos e o consumo baseado em crediário. A nossa política fiscal é absurda a ponto de não permitir expansões como em países civilizados. A política cambial é uma ilusão, posto que tenta, a uma preço alto, manter o câmbio valorizado, prejudicando, sobretudo, a indústria e a agricultura....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

31/10/2013 - Beijar-lhe-quero

Quando me diz “siga comigo”, beijar-lhe-quero a barriga e o umbigo. Quando a tardinha vem, beijar-lhe-quero num beijo comprido e lento como trem. Quando me ameaça com tabefes, beijar-lhe-quero da minha forma mais moleque. Quando muda de som, de lado, de vícios, beijar-lhe quero em feito de Neruda, Drummond, Saramago e Vinícius. Quando me deixa leve, beijar-lhe-quero como ninguém se atreveu ou atreve. Quando a reencontro, beijar-lhe quero até ficar tonto. Quando disfarça, beijar-lhe-quero com toda graça. Quando fantasia, beijar-lhe-quero em plena poesia. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima