Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 73 textos. Exibindo página 7 de 8.

Lua... aí vou eu!


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/05/2008 - Lugar comum

Nada de novo. Tudo no mesmo lugar. As ruas vão e vem. Os pássaros vão e vem. Os felizes vão os tristes vem. A vida vai e vem feito um bumerangue na mão de um menino. E olha a gente ai, no mesmo do mesmo do mesmo lugar. E olha a gente ai, a ir e a voltar como ondas de um mar imenso e propenso a marear. O dia de amanhã é igual ao que é hoje que é igual ao que foi ontem. A rotina nos tritura com seus dentes afiados e mastiga nossos sonhos, nossos planos, nossos projetos como chiclete barato.
...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

31/05/2012 - Luislinda de Iansã, olhai por nós

A Bahia tem Iansã, a Bahia tem Luislinda. Luislinda da Baía de Todos os Santos. Luislinda dos Caminhos do Sertão. Luislinda do Vale do São Francisco. Luislinda de São Salvador. Luislinda da Orla, das rodas de capoeira, dos manguezais. Luislinda dos pescadores, dos catadores de marisco, das lavadeiras. Luislinda dos dendezeiros, dos coqueirais, dos cacaueiros. Luislinda das raízes negras, do povo de Luanda. Luislinda dos Filhos de Gandhi, dos terreiros, das periferias. Luislinda, farol dos baianos. Luislinda das rendas, dos berimbaus e das oferendas. Luislinda, aplicadora e defensora das leis. Luislinda das Cidades Alta e Baixa, das estradas, dos mares e dos céus. Luislinda dos navegantes, dos feirantes, dos pequenos que se tornam gigantes. Luislinda sem preconceito, do combate às desigualdades e da afirmação dos direitos. Luislinda, força das tempestades. Luislinda de tantas lutas e cartas e gritos de alforria....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/03/2008 - Luislinda de Todos os Santos

Faltam doze minutos para as três da tarde. Com uma caneta e um amontoado de papel em branco, chego ao décimo andar da Câmara dos Deputados. De frente a um jardim de inverno florido de pássaros e de uma janela panorâmica para a Praça dos Três Poderes, espero. De repente, daquele carpete verde, brotam duas orquídeas negras. A primeira, minha amada mais amada para valer. A segunda, desconhecida até então, seria aquela que me adotaria como mais um de seus tantos filhos.

Ao apertar a mão daquela senhora de passos firmes, escuto os gritos de escravos, algemados e torturados; calo-me no desespero de mulheres discriminadas e exploradas; sinto o suor de uma pátria miserável que "vai levando" e sofro a dor do preconceito que marca, a ferro e fogo, pessoas que, na teoria, são iguais. Diante daquele encontro, vejo que aquelas palavras bonitas da Constituição, no dia a dia de um povo guerreiro, não valem de nada....
continuar a ler


Comentários Comentários (2)

20/12/2011 - Luislinda Desembargadora

Saravá desembargadora Luislinda Valois, saravá! Luislinda da Luz, saravá! Luislinda Dias melhores, saravá! Luislinda de todos os Santos, saravá! Depois de anos e anos de preconceito, de perseguição, de guerra, a justiça foi feita. Feita como filha de santo, da cabeça aos pés. Kao Kabiesilê! Salve Xangô! Eu, cavaleiro verde, que acompanhei de perto muitas vezes as chibatadas do racismo, do desrespeito e da diferenciação que estalaram sobre essa baiana, lavo, com essa nomeação, as escadarias da minh’alma em águas salgadas para acabar de vez com todo mau-agouro. O doyá Iemanjá! Carrega todo esse período de tristeza pro fundo do mar. Começa uma nova época. A riqueza tão sonhada finalmente chegou para um povo cansado de sofrer. Arroboboi Oxumarê!...
continuar a ler


Comentários Comentários (5)

13/01/2012 - Luislinda, a incansável

Toda rainha um dia será coroada. E hoje é o dia da coroação de uma rainha negra que doou sua vida à construção da justiça. Xangô de saias. Mulher forte, firme, determinada. Mulher que mudou a forma de se fazer justiça no país das injustiças. Depois de tantas chibatadas, Luislinda será coroada. As mãos de brancos e negros, de amarelos e vermelhos, hoje se unem numa salva de aplausos à desembargadora filha de Iansã. Eparrei Luislinda!

Simbolicamente, será coroada pelas mãos de duas mulheres igualmente guerreiras, a corregedora nacional do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon, e a ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros. As iabás estão em festa. Luislinda Dias Valois dos Santos chegou lá. E com ela chegaram milhares de rostos, de sonhos, de projetos, de sentimentos de justiça. Parodiando Caetano, Luislinda é do povo assim como o povo é de Luislinda. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (2)

Lula, roberto carlos e ofélia

Por que a vida tem essa cara séria, emburrada? Onde está a magia? Será que ela foi embora? Quando pequenos, ouvíamos aquelas histórias, aquele mundo de faz-de-conta que com o passar dos anos perde força. Não que se queira viver no cenário dos três porquinhos, mas será que a magia é restrita às crianças? E os adultos? Os adultos sufocam essa magia dentro de si à medida que as responsabilidades pesam, mais e mais, em seus ombros. A magia adulta é quase uma coisa marginal, proibida, descabida. Ela se concentra no amor, mas viver de amor, nos dias de hoje, é quase impossível. O mundo mágico da infância só volta na velhice e, infelizmente, de forma inconsciente, através de alguma esclerose. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

01/03/2008 - Lulinha paz e amor?

Se é que um dia existiu, a versão Lulinha paz e amor, sonhada por Duda Mendonça, acabou. Ao menos, foi isto que se comprovou na última semana. De palanque em palanque, de cidade em cidade, de discurso em discurso, Lula desceu o braço verbal na oposição e até no ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello.

O que mexeu tanto com os brios de Lula foram às críticas ao programa Territórios da Cidadania. Lula não aceita que digam que o programa é eleitoreiro. Mesmo tendo a consciência de que ele foi lançado em ano de eleição e que investirá 11 bilhões de reais em projetos sociais não podemos dizer nada. Veja só, o ministro do Supremo foi comentar que o programa poderia ter um caráter eleitoral e Lula esbravejou: "Seria tão bom se o Judiciário metesse o nariz apenas nas coisas dele"....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/08/2013 - Luminosidade

Se Iemanjá lhe chamar para o mar, mareie. Se Oxóssi lhe chamar para a mata, verdeje. Se Oxum lhe chamar para as águas, cachoeire. Se Xangô lhe chamar para ser seu machado, faça justiça. Se Preto-Velho lhe chamar para prosear, silencie e agradeça.

Se Nanã lhe chamar para o fundo dos rios, enlameie. Se Oxumarê lhe chamar para caminhar, serpenteie. Se Oba lhe chamar para combater, guerreie. Se Exu lhe chamar para qualquer coisa, respeite seu chamado. Se Oxalá lhe chamar para criar, criado seja. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

14/04/2010 - Luto oficial de três dias

A morte de alguém famoso ou uma tragédia coletiva são fatos que levam à administração pública decretar luto oficial por alguns dias. Na maior parte das vezes, três. As bandeiras hasteadas a meio mastro indicam esse estado de pesar. Mas no que isso diminui a dor da perda? Para além do sinal de respeito e tristeza pelo acontecido, o luto oficial deveria levar a atitudes diferentes. Algo que possa ultrapassar o caráter de homenagem, já banalizada hoje em dia, e interferir na prática.

De que adianta alguém desconsolado com a perda de familiares, casa e bens em razão de uma enchente saber que o presidente, o governador e o prefeito decretaram luto oficial de três dias. Tal decreto não enche sua barriga, tampouco traz seus mortos de volta. Mais do que uma reverência, o luto oficial se transformou em uma mera burocracia. O presidente da Polônia morreu e o Brasil decretou luto oficial de três dias. O que isso representa? Diplomacia, meu caros, política de diplomacia....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   4  5  6  7  8   Seguinte   Ultima