Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 73 textos. Exibindo página 4 de 8.

24/07/2016 - Linda de viver

Linda, do princípio ao fim. Linda, a flor mais bela já tida no jardim. Linda, com olhos de esmeralda, boca de rosa-chá e um sorriso de Shangri-La. Linda, um convite à imaginação. Linda e ainda dá paz e harmonia como se fosse uma religião. Linda de tirar o juízo, de tirar do rumo qualquer estrada, de fazer do azedume a colher mais açucarada. Linda, de paisagens deslumbrantes, seja pelo seu exterior ou interior. Linda, de retas, semi-retas, curvas, parábolas que contrariam a física e a matemática. Linda, longe de ser estática. Linda, de uma atmosfera intensa e propensa à primavera. Linda e simpática. Linda e catedrática no que diz respeito a ser tudo e ser simples compondo assim a beleza da natureza do seu ser. Linda e surpreendente. Linda e envolvente. Linda de iluminação. Linda de viver, de viver para todo sempre. Linda de flor, fruto e semente. Linda de crer. Linda como o ápice da criação.


Comentários Comentários (1)

08/07/2013 - Linda é a mulher de inverno

Linda é a mulher que amanhece e brada de contentamento diante do dia nublado. Linda é a mulher que não vê o momento de sair com suas botas pelo dia orvalhado. Linda é a mulher que abre os braços diante do vento cortado, carregado de frio. Linda é a mulher que não se intimida diante da friagem do tempo. Linda é a mulher que se aventura pelo meio da neblina. Linda é a mulher que quebra o gelo com palavras esfumaçantes de café.

Linda é a mulher que torce por um chuvisqueiro para que o dia esfrie ainda mais. Linda é a mulher que saboreia a estação com tudo o que ela tem para oferecer. Linda é a mulher que combina cores e temperaturas de um jeito que só ela sabe fazer Linda é a mulher que caminha como sol entre nuvens escuras. Linda é a mulher que se derrete em meio a cobertas como chocolate quente. Linda é a mulher que se veste de inverno para o inverno.


Comentar Seja o primeiro a comentar

27/09/2014 - Lindo dia

Lindo dia porque todo dia para ser teu é mister ser lindo em cada micromomento. Lindo dia ao longo deste ser-tempo que descerra aos teus olhos revelando-se pouco a pouco na inteiritude de teus sonhos. Lindo dia àquela que faz de todos os dias meus lindos cânticos ao veio da felicidade e de seus afluentes. Lindo dia para a mulher que é feita de lindezas numa beleza que só cabe no espaço de um dia por meio de mágica. Lindo dia no mais completo sentido deste desejo que tem caráter existencial.
...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

03/01/2013 - Liquidação

As fantasias restantes do Natal estão quase de graça. Os sonhos do mostruário, arranhados e manchados, estão bastante em conta. Os descontos variam bastante no setor da ilusão. Cuidado com paixões baratas. Cuidado com cheques assinados pela esperança e datados do ano passado. A alegria está em liquidação nas vitrines. Queima total no estoque de expectativas. Depois do réveillon, promessas são dadas de brinde. O amarelo ouro, o rosa amor, o branco da paz perderam o preço e o significado nas bancas. Há um verdadeiro saldão de desejos. Querendo ou não, os presentes são trocados pelo passado. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

08/11/2008 - Liras do Campônio

Ele acorda e faz da lua o seu sol. Caminha pelo escuro da estrada escuridão e testemunha o dia nascendo no fundão. A estrada é de pó e de poeira, e a esperança vai por companheira. E como cigarra do sertão, canta para espantar a solidão. Canta como o último trovador as trovas românticas de um tempo cantor e, outrora, sedutor. Fala de amor, fala de saudade, fala da cor daquele beijo e da cidade do desejo. Será ficção ou realidade?

Só que ao contrário daqueles que não passam por ele, porque dormem ou esperam o sol, ele canta em italiano. Não há engano naquele descendente de sicilianos que vieram para cá tentar outros planos. E como um tenor, canta a dor de um tempo cantor. E quem está na cama, detrás das cancelas, no fechar das janelas, sonha e ama em outra língua. Ah! Que seja bem vinda a lira do cantor sonhador. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

18/09/2012 - Listas

Quantas promessas ainda são somente promessas em sua lista? Quantos daqueles amores que foram colocados em uma lista você ainda ama e quantos deles você pretende continuar amando? Quantos alimentos proibidos pela lista de sua dieta você ainda consegue ficar sem comer? Quantos amigos de sua lista você ainda confia para chamar de amigo? Quantos deuses de sua lista ainda estão no altar? Quantas regras listadas por você tempos atrás ainda são obedecidas? Quantas alegrias da sua lista foram dadas como lida?...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/01/2011 - Literatus

Se for mentir, Pinóquio. Se for aprontar, Emília. Se for duvidar, Capitu. Se for amar, Iracema. Se for provocar, Gabriela. Se for comer, Lobo Mau. Se for pegar no sono, Bela Adormecida. Se for amar além da conta, Romeu e Julieta. Se for voar, Mari Popies. Se for se apaixonar, Fantasma da Ópera. Se for roubar a cena, Baleia. Se for confundir vitória com batatas, Quincas Borba. Se for iludir, Maya. Se for se devorar, Narciso. Se for investigar, Sherlock Homes. Se for se aventurar, James Bond. Se for se espantar, o corcunda de Notre-Dame. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/07/2015 - Livra-se e vem

Tira a roupa e vem me ver. Já estou doente de tanto querer. Venha sem sapatos. Sem vestidos. Como num grande ato onde do encontro faça o melhor do permitido e do proibido. Pegue o primeiro arco. Flexione seu corpo como num arco. Faça-se presente em todos os locais do quarto. Estou a lhe esperar como se fosse a primeira vez. Desabotoa seus botões no meu jardim de inverno. E entre tantos senões vai me fazendo a sua certeza. Tira a roupa do que nos afasta e vem me ver. Dispa-se dos obstáculos, das incongruências, das incompatibilidades e vem esvair toda e qualquer saudade. Doma os meus dias vazios. A selvageria que me tomou. Faça-me do seu jeito que eu lhe faço no meu ajeito para tudo ser mais que perfeito. Deixa de lado o passado. Desça do muro do futuro. Faça um furo no hoje e deixa vazar todo o sentimento. Tira todo nó, todo não, todo só do coração. Dá alento ao meu caminho que se estende sozinho. E vamos somente com o essencial de nós dois ao chamamento da paixão.


Comentar Seja o primeiro a comentar

07/07/2015 - Livres como pássaros

Que todas as porteiras sejam abertas. Que todas as janelas se abram. Que todas as portas se destranquem. Que todas as tramelas se levantem. Que todos os portões se escancarem. Que todas as tumbas se quebrem. Que todos os cadeados se rompam. Que todas as correntes se arrebentem. Que todas as cancelas se esgarcem. Que todos os nós se desatem. Que todos os segredos se revelem. Que todas as prisões libertem. Que todos os laços se desmanchem. Que todas as gaiolas caiam e os pássaros voem livres como pássaros que somos.


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/09/2011 - Longe daqui

Longe daqui, ela caminha pelas curvas de seu corpo curvilíneo curvando olhares. Caminha entre pés de jatobá, com pés quase descalços, numa paisagem mágica, como que flutuando a alguns milímetros do chão. Bóia no ar como uma lua de sol, trocando suspiros e rugidos como se tivesse ascendente em leão. Vai como que levada pelo vento agreste, pela canção do entardecer, pela mensagem de algum mestre interplanetário. E, com influência de aquário, se enche de água mineral e nada em pensamentos que estão acima do bem e do mal. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   2  3  4  5  6   Seguinte   Ultima