Daniel Campos

Imprimir Enviar para amigo
28/03/2008 - Lua... aí vou eu!

Uma curva fina e branca no céu. Essa era a lua de ontem. Minguante ao extremo. Magra, magra, magra. E não era noite de eclipse. Ao menos, não vi nada ser anunciado na televisão. No entanto, a noite engolia a lua em sua escuridão sem dó nem piedade. Eu já me enchi de preocupação. Afinal, e se São Jorge caísse com seu dragão sobre a cabeça de quem passa pelas calçadas. Além do mais, tenho reservas para dar uma passadinha na lua em 2010. Ela não pode acabar antes de eu ir lá.

A empresa americana XCOR Aerospace, já exibiu sua nave suborbital para duas pessoas. Com visual esportivo, inspirado em uma águia, esse jatinho-foguete particular me espera. A partir de 2010, a empresa pretende fazer vôos diários com turistas decididos a pagar por uma experiência única. Acha tudo um exagero? Saiba que há previsões que daqui a vinte anos os hotéis espaciais vão se tornar estações de férias populares. É claro que é preciso pagar vinte milhões de dólares por uma estada de uma semana no espaço. Mas o Lula disse que o Brasil vai ser uma super-mega-hiper-potência mundial, que vamos ter um crescimento econômico extraordinário, que o salário irá para as alturas, que a transposição do rio São Francisco vai melhorar a vida de todo mundo, que nós vamos abastecer o mundo com nosso combustível, que a classe média está vivendo a mil maravilhas. Fiz as minhas reservas acreditando nisso.

Quanto mais eu leio política, mais eu acredito em coisas fantásticas. E olha que papai-noel e coelho da Páscoa são muito mais fácies de acreditar do que as criações do governo. Mas, o que interessa mesmo é a minha viagem ao espaço, com escala na lua. Como são dois lugares, vou levar minha esposa para o mais completo significado de lua de mel. Que as abelhas espaciais estejam inspiradas e faça uma lua em favos de ótima qualidade. Já os menos românticos dizem que a lua é de queijo. Se isso for verdade, eu espero que ela seja feita de um queijo minas fresquinho e repleto de furinhos.

Independentemente do sabor da lua, viajo para lá daqui a dois anos. Quero estar bem longe durante o período eleitoral que vai tratar da sucessão de Lula. Agora que o partido dos trabalhadores conseguiu chegar ao poder e que todo mundo já experimentou dele um pouco, deveriam parar tudo e começar de novo. Inventar outros partidos, outros candidatos, outro jeito de fazer política. Como eu tenho certeza de que isso não vai acontecer, só tenho uma coisa a dizer: lua... aí vou eu!


Comentários

Nenhum comentário.


Escreva um comentário

Participe de um diálogo comigo e com outros leitores. Não faça comentários que não tenham relação com este texto ou que contenha conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade. Eu me resguardo no direito de remover comentários que não respeitem isto.
Agradeço sua participação e colaboração.

voltar