Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 362 textos. Exibindo página 33 de 37.

27/10/2008 - Coração partido sim

O coração tem marcas. Marcas de humilhações, marcas de desespero, marcas de dor. O coração de quem ama não é liso, perfeito, intocável. O coração de quem ama é partido para sempre. Porque o coração da criatura amada é apenas a parte de um todo, o qual se pode chamar de felicidade. Afinal, só se completa quando ao lado de outro coração. E por ser parte, de um projeto maior, dói. Dói a dor da saudade, que o marca a ferro e a fogo. Dói o silêncio de pulsar sozinho o seu pulso. Dói a intensidade do sangue jorrado. Dói de prazer. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

08/09/2015 - Coração refugiado

Quando eu respiro dói porque não é fácil colocar para dentro esse ar de guerra. Há um mundo de sentimentos, de tormentos, de violências tantas jogado aos ventos. O grito de dor, o choro de fome, o nó na garganta, os sonhos abortados, os amores partidos, as perdas pra sempre, as palavras espinhadas... Tudo fica pelo ar se acumulando como nuvens invisíveis carregadas de negatividade. E ao respirar coloco para dentro de mim todo esse tempo ruim e sofro, sentimental que sou. Hoje meu coração refugiado está.


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/11/2013 - Coraçãonismo

Que coração algum fique escondido. Que seja revelado o retrato de todo e qualquer coraçãozinho. Que os corações deixem os ninhos, as tocas, os becos, os quartos escuros. Que os corações caminhem livremente pelos olhos, sem medo da inocência ou da maledicência. Que os corações se alimentem de outros corações num canibalismo saudável. Que as constelações dos corações pequeninos e também dos grandes e grandiosos corações guiem e estampem nossos espíritos e nossos corpos por uma vida de apaixonamento. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

03/01/2012 - Corações

Coração semeado. Coração doado. Coração suado coração sem saída. Coração de salto. Coração tensionado. Coração impermeável. Coração não durável. Coração inflexível. Coração de aço. Coração de corda. Coração de inverno. Coração de vento. Coração de pilão. Coração de peso. Coração pra viagem. Coração vacinado. Coração bobagem. Coração viralata. Coração solidão. Coração de pano. Coração oceânico. Coração verde. Coração canção. Coração de fora. Coração curioso. Coração indiscreto. Coração secreto. Coração magnético. Coração monossilábico. Coração condor. Coração de batom. Coração do porto. Coração ponto cruz. Coração civil. Coração de lado. Coração atrasado. Coração de centavos. Coração nu. Coração em silêncio. Coração propenso. Coração parcial. Coração enfeitiçado. Coração na floração. Coração nas nuvens. Coração com ferrugem. Coração proibido. Coração rei. Coração de mirra. Coração de incenso. Coração de ouro....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

26/01/2010 - Corações de pano

No quarto dos fundos havia algumas caixas de bugigangas e outros cacarecos, um tapete do tempo de vovó, um telhado sem forro, livros abandonados e duas baratas de estimação que não incomodavam, tampouco assustavam ninguém. A janela dava para um terreno ermo, com árvores e horizontes a perder de vista. Os moradores da casa não costumavam passar muito tempo ali, apenas procuravam alguns pertences e logo deixavam o local.

Era um quarto abandonado. Ao contrário do que possa parecer não foi destinado à bagunça, mas ao convívio. Contudo, por questões místicas e metafísicas, não havia cristão que agüentasse ficar ali por muito tempo. Energias negativas, vibrações estranhas e arrepios inesperados eram captados ali. Podia ser besteira, mas o fato é que esse clima fantasmagórico afastava as pessoas dali....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

25/11/2013 - Corações-bomba

O que há de sentido no amor senão a falta de sentido? Essa loucura generalizada que toma conta das vísceras, das entranhas, do íntimo mais íntimo que há. E o instinto de matar ou de morrer por amor convive com a vontade de compartilhar um sono manso, capaz de amolecer o coração mais duro que possa existir. O amor dobra joelhos, acama, tomba heróis e eleva bandidos. Ninguém fica imune às tramas desta teia confeccionadas com mistério, beleza e veneno. Sim, o amor é letal, mas e daí? Quem se importa em sofrer todos os efeitos de um sentimento que para se fazer inteiro não deixa nada inteiro em você. em mim, em nós?...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

17/08/2016 - Coragem para viver o amor

Meu amor, seja forte. Por tudo o que é mais sagrado, muita atenção. Não é momento de fraquejar, de desistir do coração, tampouco de fugir da sua sina. É fundamental que, mesmo com toda dor, tenha clareza dos caminhos que se desenham à sua frente. É a sua vida que está em jogo e o seu maior adversário é você mesma. Portanto, mergulhe fundo em si própria e se encontre, ou melhor, se reencontre. Há tempos você está perdida de você. É necessário promover urgentemente esse reencontro, de modo que você se funda aos seus sonhos, desejos, quereres. Está mais do que na hora de você ir além desse mundinho que você criou para se proteger, ou melhor, para se esconder. Não adianta correr da verdade. Esse mundinho é pequeno demais para você, ele te oprime e impede seu crescimento. Você não nasceu para vegetar, mas para viver de forma grande. Por ser nova pode achar que tem tempo de sobra, mas escolhas erradas comprometem todo o curso de nossa trajetória. Então, escolha de forma acertada. Não se sabote. Não se desvie. Não coloque tudo a perder. Coloca esse bicho-papão que está te dominando para correr e corra em direção daquilo que te faz feliz pra valer. Olhe no espelho dentro dos seus olhos e diga à paixão contra a qual você tanto reluta: seja bem-vinda. Você não é somente linda, você tem algo a mais aí dentro, algo que a torna especial. Defenda essa chama, essa luz, esse brilho. Não se apague. Não se apague ainda mais, por favor. Ainda dá tempo de se ascender. Recupere o viço, a alegria de viver, a capacidade de amar. Aliás, permita-se ser amada. Permita-se que esse amor te transforme. Não negue o que é óbvio. Não lute contra si mesma. Seja menos dura com você. Tira esse peso do seu coração. Liberte-se para aquilo que te destina. Tenha fé no amor verdadeiro. Num amor que não te usa, que não te lima, que não te acorrenta, que não quer nada menos do que o seu bem. Por mais que tudo pareça confuso, difícil, saindo do seu controle, não tema. Não, não meu amor, não tenha medo, pois eu estou aqui. Ainda continuo aqui com as mãos cheias de carinho e com esse amor maior correndo por todas as veias desaguando nos meus olhos verdes. Quebre todas as paredes. Liberte-se. Deixe de fugir. Mate em mim a sua fome e a sua sede. Meus braços estão prontos para te embalar, em sonhos reais, como se fossem redes. E eu te prometo – não vou te deixar cair.


Comentários Comentários (1)

12/04/2013 - Coréia de mísseis

Como ficarão os sonhos ainda não realizados depois dos mísseis da Coréia? O que vai ser dos casais apaixonados depois dos mísseis da Coréia? Quando as crianças vão dormir sem medo de não acordar depois dos mísseis da Coréia? Como vão ficar as ligações depois dos mísseis da Coréia? O que farão os pássaros depois dos mísseis da Coréia? Quem catará e juntará e colará os estilhaços de humanidade depois dos mísseis da Coréia?

Mísseis que desafiam a vida e a morte. Mísseis que levam o fim. Mísseis de choro. Mísseis de viuvez. Mísseis de gritos. Mísseis que colocam deus em xeque. Mísseis de histeria. Mísseis rasantes, cadentes, incandescentes. Mísseis com remetente e destinatário. Mísseis da separação. Mísseis que rompem destinos. Mísseis que espalham vírus nucleares. Mísseis que nos marcam de guerra. Mísseis que descriam a terra.


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/11/2009 - Cores e sonhos

Já faz tempo que eu saí de casa levando sonhos debaixo do braço. As estradas tentaram, mas não conseguiram me engolir. Agora estou aqui sob um pé de pau-brasil ouvindo um daqueles pássaros que assoviam apaixonados como namorados. Estou aqui, na linha do horizonte de um pôr-do-sol socialista, que se reparte em milhões de raios vermelhos. Estou aqui, crescendo como mato em época de chuva ambientalista. É verde para lá, é verde para cá. Estou aqui e por entre os galhos do pau-brasil ainda não se atreveu a pousar tucano azul-amarelo algum. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/09/2015 - Coronel do Bode

Quem é que pode com o Coronel do Bode? Acode, acode que dona Sinhazinha com ele não pode. Ele a sacode e berra feito bode. Não pode, não pode. Dona Sinhazinha merecia um lorde, mas o Coronel, que nem o diabo pode, a fez sozinha, na verdade, fez dela uma ode à solidão. No sertão quem é que implode o império do Coronel do Bode? Pra mode da alegria de Sinhazinha bem que o vento ao invés da chuva podia trazer o lorde. Um lorde capaz de fazer Sinhazinha viúva. Mas enquanto o lorde não vem, Sinhazinha fica à mercê do pagode do Coronel do Bode num compromisso de fio de bigode. E bigode não falta no Coronel do Bode, tanto que quando chove se sacode. E quem é que pode com o bode que berra e morde? ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   31  32  33  34  35   Seguinte   Ultima