Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 362 textos. Exibindo página 34 de 37.

18/10/2015 - Corpo ou jardim?

Quando você se deita está feito o jardim. Do seu corpo nascem amores-perfeitos e outras cores de flores que são de todo jeito. A brotação e floração do seu corpo horizontal não têm defeito nem fim. Impossível não notar as folhagens dando beleza e mistério aos seus olhos numa simplicidade de realeza. E a rosa carmim, carnuda, miúda, profunda, que desabrocha em sua boca. E a noite se faz pouca para a apreciação de todo perfume de manacá, jasmim, lavanda, camélia,..., e de todo ardume que anda pelo seu íntimo misterioso feito bromélia e garboso igual azaleia. Há árvores altas que tocam o universo e uma vegetação rasteira que se espalha por inteira como verso em rama. Quando você se deita folhas, raízes, folhas e sementes tomam de conta da cama. Dama da noite, da tarde, do dia que anuncia com alarde o verde em toda sua seiva e primavera. Em seu corpo, a era do que cresce, floresce e aquece a vida como chá de camomila. Há filas de jardineiros, colecionadores, lavradores, aventureiros, conquistadores, cientistas e artistas querendo tocar, cultivar, amar o seu corpo, que mais parece um porto do mato de onde chegam e saem a todo o momento embarcações de todo tipo de sentimento. Porém, vem o vento e o sopro espalha seu verdume em meus olhares preenchendo de vida, com suas chegadas e partidas, todos os lugares do meu eu. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

05/06/2017 - Corpo são e mente sã

Quando tiver cisma do escuro, acenda a tua luz interior. E se achar que tem alguém debaixo da cama, pensa no quanto alguém te protege e te ama. Se algum vulto aparecer, fecha e abra os olhos com a certeza de que Deus está em todo lugar. Quando teu coração acelerar, disparar de nervoso, transforma essas batidas em música. Se tudo ameaçar ficar ruim, faça ficar bom, pois você tem o dom de fazer sorrir. Quando o medo te paralisar, lembra que nada nem ninguém é maior que o amor que há em torno de ti. Sempre que as preocupações te tomarem, eleva seus pensamentos e controla seus sentimentos. Se quiserem te derrubar, diga em alto e bom som que quem te protege e te guia não há de te deixar cair. Contra as lágrimas, doses de sorriso. Contra o terrorismo, a fé que leva consigo. Contra os males, o bem que cultiva como uma flor sempre-viva. Quando te assombrarem com um não devolva um sim de todo coração. A maior beleza que há é ser o que é, não se deixar dominar, abater e sucumbir. A maior beleza que há é semear hoje o que será do amanhã, é acreditar que tudo se cura, se supera e se embeleza com corpo são e mente sã. Quando sentir frio de solidão, que o amor que tem sirva-te de lã.


Comentar Seja o primeiro a comentar

11/12/2015 - Corporando

Se meu coração tivesse pernas seria centopeia. Se meus olhos tivessem asas não fariam ninhos, dormiriam e amariam em pleno ar. Se minha boca não tivesse juízo já teria sido presa em flagrante. Se minha língua fosse um barco seria um veleiro em alto mar. Se meus ouvidos tocassem seriam piano e tamborim. Se minha pele tivesse tatuagem seria retratando os signos de minha alma. Se meus pés fossem propulsores viveria na lua ou pelos anéis de Saturno. Se minhas mãos tivessem pouso seriam em certos seios. Se meu rosto tivesse autorretrato seria num pós-impressionismoromantico. Se meu corpo tivesse cheiro seria de mata. Se meu eu tivesse som seria do mar quebrando. Se minha vida tivesse um encaixe seria você que anda por aí desencaixando-se de mim. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/02/2013 - Corpos

Corpos de dão. Corpos se flertam. Corpos se entortam. Corpos se vão. Corpos se provocam. Corpos se chocam. Corpos se invocam. Corpos se misturam. Corpos se seguram, ou não. Corpos se roubam. Corpos se tombam. Corpos se usam. Corpos se alinham. Corpos se abusam. Corpos se engalfinham. Corpos se fitam. Corpos se gritam. Corpos se bolam. Corpos se embolam. Corpos se rolam. Corpos se agigantam. Corpos se tomam. Corpos se cantam. Corpos se rasgam. Corpos se devoram. Corpos se engasgam. Corpos se coram. Corpos se enfeitiçam. Corpos se atiçam. Corpos se viçam. Corpos se cobiçam. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/06/2014 - Corpus triste

Corpus triste sem você. Corpus triste sem poder lhe ver. Corpus triste, fazer o quê? Corpus triste quem me dera morrer! Corpus triste pelo qual o choro é clichê. Corpus triste machucado de viver. Corpus triste doente de sofrer. Corpus triste imaculado de tanto doer. Corpus triste que segue sem se arrepender. Corpus triste o que toca faz entristecer. Corpus triste oferecido em feitio de buquê. Corpus triste temido como um dossiê. Corpus triste mergulhado no próprio anoitecer. Corpus triste sagrado num tanto querer. Corpus triste que ninguém lê. Corpus triste que ainda crê. Corpus triste que segue a perder. Corpus triste que não consegue esquecer. Corpus triste sem cor como inverno num ipê. Corpus triste que faz por merecer. Corpus triste abandonado sem porquê. Corpus triste entregue à mercê. Corpus triste onde a tristeza faz fuzuê. Corpus triste, cadê sua metade que existe, cadê?


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/01/2010 - Corra, corra

Corra, corra e olhe a rua. Saia na sacada de seu apartamento. Esgarce as folhas de sua janela. Dependure-se nos muros. Drible as grades. Desça das masmorras. Ganhe as esquinas. Tenha olhos de binóculos. Abuse das lentes. Corra, corra. Pegue um táxi, um avião, um meteoro, mas corra, corra e olhe a rua.

Olhe a mulher de vestido jeans, com os joelhos descobertos como dois recém-nascidos, passeando pelas pedras do asfalto que a essa altura já vai alto, de bebida e loucura. Olhe as pernas que infernas tentam, torturam e provocam. Corra e olhe a mulher que tem ternura em seus apelos e uma caída perfeita em seus cabelos. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

29/05/2014 - Corre sem saber

Corre sem saber para onde. Corre sem saber a razão. Corre sem saber o que traz. Corre sem saber o que lá esconde. Corre sem saber o que faz. Corre sem saber se é caminho de sim, se é caminho de não. Corre sem saber parar. Corre sem saber respirar. Corre sem saber porquê. Corre sem saber se para mim, para ela, para você. Corre sem saber olhar a paisagem. Corre sem saber amar. Corre sem saber se é de verdade ou miragem. Corre sem saber gritar. Corre sem saber fugir. Corre sem saber sumir. Corre sem saber se despedir.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Corredores da morte

De repente a dor. Uma dor que não é uma dor qualquer. Não queria maiores alarmes. Quem sabe se permanecesse quieto. A cama. Um repouso nada prazeroso. E como pressentia, ela continua. Os segundos se dilatam, alongam-se ao máximo, quase explodem. A circunferência do relógio parece dobrar, triplicar de tamanho. O tempo passa lento demais diante da vontade de ver tudo acabado, de se achar depois da dor. Quem sabe um remédio daqueles que não se precisa de receita médica. Não! Chega de tentar se iludir....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

12/11/2014 - Correr ao tempo

Eu tenho que correr porque minha vida não me espera para viver. É preciso correr a pé, nas asas de um tié ou no lombo de uma égua. O relógio não me dá trégua com seus ponteiros febris. O tempo não me abona, pelo contrário, rasga a lona do meu circo existencial. Pelos varonis soldados do tempo são me cobrados impostos de fantasias. Levam de mim sacas de alegrias crescidas e ainda não nascidas. É preciso correr antes que o senhor do tempo sele meu destino com sua pá de cal. Não há súplica ou sacrifício que o faça diminuir sua passada. Somos prisioneiros de sua estrada. O tempo está em todas as coisas, em todos os lugares. Deitamos com o tempo no sagrado de nossos lares e o tomamos nos copos mais sujos dos bares. O tempo é fera desarvorada, sem doma, sem dona. O tempo não perdoa, tampouco afaga. É preciso correr para que os lastros com o tempo não se rompam antes da hora. É preciso correr sem demora, doa a quem doer, para que não sejamos apenas rastro que logo se apaga.


Comentar Seja o primeiro a comentar

08/01/2012 - Correrias

Eu já corri da chuva e pra chuva. Eu já corri para não perder aula. Eu já corri rumo ao fim de semana. Eu já corri contra o tempo. Eu já corri pro mar. Eu já corri perigo. Eu já corri a pé ,de carro, a cavalo. Eu já corri pra ser feliz. Eu já corri sem motivo. Eu já corri por um triz. Eu já corri pros braços da mulher amada. Eu já corri pra ir e pra chegar. Eu já corri em público. Eu já corri na lua. Eu já corri da idade. Eu já corri de olhos vendados. Eu já corri como uma mensagem e como um mensageiro. Eu já corri em círculos. Eu já corri de mim. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   32  33  34  35  36   Seguinte   Ultima