Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 362 textos. Exibindo página 1 de 37.

05/06/2017 - Corpo são e mente sã

Quando tiver cisma do escuro, acenda a tua luz interior. E se achar que tem alguém debaixo da cama, pensa no quanto alguém te protege e te ama. Se algum vulto aparecer, fecha e abra os olhos com a certeza de que Deus está em todo lugar. Quando teu coração acelerar, disparar de nervoso, transforma essas batidas em música. Se tudo ameaçar ficar ruim, faça ficar bom, pois você tem o dom de fazer sorrir. Quando o medo te paralisar, lembra que nada nem ninguém é maior que o amor que há em torno de ti. Sempre que as preocupações te tomarem, eleva seus pensamentos e controla seus sentimentos. Se quiserem te derrubar, diga em alto e bom som que quem te protege e te guia não há de te deixar cair. Contra as lágrimas, doses de sorriso. Contra o terrorismo, a fé que leva consigo. Contra os males, o bem que cultiva como uma flor sempre-viva. Quando te assombrarem com um não devolva um sim de todo coração. A maior beleza que há é ser o que é, não se deixar dominar, abater e sucumbir. A maior beleza que há é semear hoje o que será do amanhã, é acreditar que tudo se cura, se supera e se embeleza com corpo são e mente sã. Quando sentir frio de solidão, que o amor que tem sirva-te de lã.


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/05/2017 - Cata-vento ou moinho?

Você pode ter um coração de cata-vento, que aproveita o melhor do tempo para se colocar em movimento ou ter um coração de moinho, que fica remoendo sentimento bem devagarzinho. Cata-vento não prende o que lhe é oferecido, sabe aproveitar e soltar. Já o moinho aprisiona e tritura todo e qualquer tormento. O cata-vento é a alegria nas mãos das crianças, que seguem em frente buscando novos ares. O moinho é a trança da nostalgia, amarrando vidas no passado. Cata-vento só quer rodar, só quer girar, só quer viver... moinhos querem quebrar grãos que nunca brotarão. Cata-vento é feito de papel e ar, moinho é feito de ferro e pedra. Cata-vento ou moinho, presta atenção como seu coração vem sendo usado. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/12/2016 - Coração de sal

De uma hora para outra, dou para chorar e ninguém me segura. Não sei é bad, deprê, dor-de-cotovelo, mas sei que esse choro chega de repente e devasta o interior da gente. É um choro sem explicação, sem motivo aparente, como uma nuvem que surge do nada numa tarde de sol e começa a chover. Eu choro porque choro e ninguém tem nada a ver com isso. Eu tento, mas não dá para impedir. E quem é, meu deus, que segura esse reboliço, que vai dando nó de marinheiro dentro da gente. É uma pegada diferente, uma batida de frente, um vazio que dá bem lá no ausente. É uma semente de choro que vai brotando, crescendo, florando num pé de chororo. É um trem desgovernado, um mergulho no passado, um medo do que lá vem. É choro de amor, de saudade, de apaixonamento, de querer bem. Choro o que podia ter sido diferente e não foi. Choro o que podia ter continuado e acabou. Choro o sonho que morreu antes de eu tê-lo vivido por inteiro. Choro o coração que foi partido como um simples pão. Choro o amor que ficou pela metade. Choro a volta da realidade. Choro porque não posso acumular o que já não dá mais para carregar. Choro o que já deu. Choro o que já se perdeu. Choro o que não tem mais jeito. Choro o que já expirou a validade. Choro o dia que volta. Choro o beijo que nunca mais terei. Choro os abraços que não mais me abraçam. Choro pelo corpo que sem mais explicações deixou de se encaixar com o meu. Choro o perfeito que virou imperfeito. Choro o eu te amo que se calou. Choro a maldição do ponto final no pra sempre da nossa história. Chorando limpando meu íntimo de toda ilusão, que se espalha como erva-daninha em sementeiras de solidão. Choro porque choro que não vira lágrima vira pedra. Choro porque não quero empedrar minha alma nem petrificar meu coração. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

02/12/2016 - Coração de estudante

Não há como fugir, os estudantes, nesta época do ano, são inundados por uma mistura de sentidos, de emoções, de pensamentos que fogem à regra. Independentemente, se no ensino fundamental, no ensino médio, no curso técnico, no cursinho pré-vestibular, na universidade... dá um nó peito. Um nó que cartilha alguma explica. Essa mudança de ano ou melhor, de fase, não é fácil de ser assimilada porque traz à tona remanejamentos de contatos, de objetivos, de sonhos. Esses reencaixes da vida abalam, calam fundo, mexem com as estruturas mais íntimas do nosso ser. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

05/11/2016 - Chegou a nossa hora

É hora da gente se desencontrar. É hora disso tudo passar. É hora da gente tomar nossos rumos sem pensar um no outro. É hora da gente nos compor se decompondo. É hora da gente se deixar solto. É hora da gente parar do outro o nosso estrondo. É hora da gente ir além do óbvio de nós dois. É hora da gente esquecer dos nossos lençóis. É hora da gente fechar o livro. É hora da gente dizer sem você eu vivo. É hora da gente tomar outro caminho e vergonha na cara. É hora da gente confiar no destino que une e separa.


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/10/2016 - Choro de ninguém

Acostumei a chorar como choram as árvores, um choro quieto e camuflado, ora seiva ora orvalho, que serve como alimento para as novas folhas. Choro é sinônimo de renovação, de mudança, de nascimento e, sem dúvida, de crescimento. Ninguém cresce ou amadurece sem lágrimas. Porém, tenho o cuidado de não deixar gosto algum de choro nos frutos que ofereço, pois ninguém merece se alimentar da minha tristeza. Aos outros, por mais triste que esteja, devo oferecer o que tenho de mais doce, forte e belo. Que venham as flores porque florir é um outro jeito de chorar. É um chorar colorido, perfumado, bonito. Quem disse que o choro precisa ser sinônimo de dor? O meu choro é o meu sustento, é o que me faz ter a certeza de que preciso de raízes cada vez mais firmes para sustentar tudo o que eu amo, o que eu sonho, o que eu desejo. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

26/08/2016 - Cuidado com o amor

E então o amor chegou. Não me pergunte como. O fato é que ele chegou. E quanto tempo fica? Ninguém sabe. E nem é bom se ater a essa questão, pois ele pode se zangar e ir embora mais cedo. O amor é melindroso. Então, muito cuidado! Não provoque o amor querendo saber mais do que ele quer revelar. O amor só se mostra o necessário. Quem quer ver mais do que isso está arriscado a ficar cego ou só. Vá com cuidado, pois todo cuidado ao mexer com um amor recém-chegado é pouco. É como filho recém-nascido, necessita de muito zelo e paciência. O amor pode ter chego, mas só mostra seus reais objetivos, seus caminhos, com o tempo. Então, entregue-se ao tempo para viver o amor que só te dá uma chance. Se desperdiçá-la pode até ter uma nova oportunidade com a mesma pessoa, mas já será outro amor.


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/08/2016 - Com você

Durmo com você. Acordo com você. Banho com você. Como com você. Ando com você. Deito com você. Sonho com você. Trabalho com você. Digito com você. Rio com você. Explodo com você. Realizo com você. Voo com você. Mergulho com você. Encontro com você. Orbito com você. Faço com você. Cozinho com você. Corro com você. Navego com você. Canto com você. Confesso com você. Brinco com você. Suspiro com você. Tempero com você. Imagino com você. Ganho com você. Semeio com você. Apanho com você. Aventuro com você. Disparo com você. Movo com você. Escalo com você. Fantasio com você. Cavalgo com você. Misturo com você. Dou com você. Vou com você. Sou com você.


Comentar Seja o primeiro a comentar

17/08/2016 - Coragem para viver o amor

Meu amor, seja forte. Por tudo o que é mais sagrado, muita atenção. Não é momento de fraquejar, de desistir do coração, tampouco de fugir da sua sina. É fundamental que, mesmo com toda dor, tenha clareza dos caminhos que se desenham à sua frente. É a sua vida que está em jogo e o seu maior adversário é você mesma. Portanto, mergulhe fundo em si própria e se encontre, ou melhor, se reencontre. Há tempos você está perdida de você. É necessário promover urgentemente esse reencontro, de modo que você se funda aos seus sonhos, desejos, quereres. Está mais do que na hora de você ir além desse mundinho que você criou para se proteger, ou melhor, para se esconder. Não adianta correr da verdade. Esse mundinho é pequeno demais para você, ele te oprime e impede seu crescimento. Você não nasceu para vegetar, mas para viver de forma grande. Por ser nova pode achar que tem tempo de sobra, mas escolhas erradas comprometem todo o curso de nossa trajetória. Então, escolha de forma acertada. Não se sabote. Não se desvie. Não coloque tudo a perder. Coloca esse bicho-papão que está te dominando para correr e corra em direção daquilo que te faz feliz pra valer. Olhe no espelho dentro dos seus olhos e diga à paixão contra a qual você tanto reluta: seja bem-vinda. Você não é somente linda, você tem algo a mais aí dentro, algo que a torna especial. Defenda essa chama, essa luz, esse brilho. Não se apague. Não se apague ainda mais, por favor. Ainda dá tempo de se ascender. Recupere o viço, a alegria de viver, a capacidade de amar. Aliás, permita-se ser amada. Permita-se que esse amor te transforme. Não negue o que é óbvio. Não lute contra si mesma. Seja menos dura com você. Tira esse peso do seu coração. Liberte-se para aquilo que te destina. Tenha fé no amor verdadeiro. Num amor que não te usa, que não te lima, que não te acorrenta, que não quer nada menos do que o seu bem. Por mais que tudo pareça confuso, difícil, saindo do seu controle, não tema. Não, não meu amor, não tenha medo, pois eu estou aqui. Ainda continuo aqui com as mãos cheias de carinho e com esse amor maior correndo por todas as veias desaguando nos meus olhos verdes. Quebre todas as paredes. Liberte-se. Deixe de fugir. Mate em mim a sua fome e a sua sede. Meus braços estão prontos para te embalar, em sonhos reais, como se fossem redes. E eu te prometo – não vou te deixar cair.


Comentários Comentários (1)

22/07/2016 - Como o barco está para o mar

Estou para você, como o barco está para o mar. Quero as suas águas, mesmo com todo perigo. Quero a sua vastidão e me entrego ao teu infinito sem remos, motor ou velas. Estou em suas mãos, em suas ondas, em sua profundidade, totalmente à mercê da sua vitalidade. Se quiser me engolir, que me engula. Se quiser me virar, que me vire. Se quiser me tragar, que me trague. Só não me expulse do seu ventre, das suas entranhas. Permita que eu continue em seu mar, em seu corpo-mar, em suas entranhas de sereia. E vá cantando para mim, deixando que eu me perca mais e mais me achando na sua beleza sem fim. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

      1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima