Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 208 textos. Exibindo página 2 de 21.

É de batalhas que se vive a vida

Nem mesmo o sol conseguiu se recompor a tempo para descortinar aquele dois de outubro de 2006. O dia, por si só, amanheceu de ressaca. E não era de uísque. O céu ganhou nuvens pesadas e passou como um mar escuro, sem estrelas, sem cometas, sem sóis nem luas. E o sal desse mar escorreu por muitos olhos. Olhos negros. Olhos verdes. Olhos azuis. Independente da cor, o sentimento era o mesmo naqueles olhos de tanta luta, de tanto esforço, de tanta dedicação.

Naquela segunda-feira por mais que se falasse, que se afirmasse, que se jurasse, nada parecia concreto. Para onde foi a realidade? Para onde foi a nossa ilusão? Para onde foi a vitória? Naquela segunda-feira, o céu nublado ofuscou a armadura de Nike, a deusa grega da vitória. Naquela segunda-feira, as vidas-secas de Sinhá-Vitória ficaram ainda mais secas. Naquela segunda-feira, mesmo com a presença da primavera, nenhuma vitória-régia conseguiu se abrir em flor....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

26/05/2015 - E deixa viver

Eu ainda não sei o que vou fazer amanhã. Só tenho o hoje e o hoje é só o hoje, tanto que nem sabe do amanhã. Eu ainda não sei se vou pro norte, se vou subir ou descer, se é praia ou montanha, só sei que a sorte vai me querer. Eu ainda não sei o que escrever, só quando virar a próxima página é que eu vou saber. E deixa viver.

Eu ainda não sei o que será do meu amanhã, só sei que eu vou ser o que eu sou e assim meu sonho vai pra onde vou. Não sei o que será, mas o que há de ser será. Pode ser que eu seja estrada, casa, asa... Pode ser que seja sim ou que seja não, só sei que vou seguir o coração. Estarei entre a verdade e o mistério. E deixa viver. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

29/07/2011 - E ela saiu pelas ruas...

Ela fez cara de má e saiu pelas ruas. Não deu bom dia, não falou o que queria, não fez pose nem fantasia. Caminhou apressada, sem dizer palavra alguma, esbarrou nas pessoas, desobedeceu às regras de convivência e fingiu que não escutou sua penitência. Estava disposta a ser anti, antisocial, anticivilização, antihumor... Parece não ter acordado azeda assim, mas, quem a via, tinha certeza de que ela possuía inúmeros motivos para dividir esse profundo azedume com o mundo.

Cara amarrada, sorriso trancado, punhos cerrados. Vestiu preto dos óculos aos sapatos. Não atendeu telefonemas, não discutiu seus dilemas, não comprou um livro de poemas. Sem querer saber de presente, passado ou futuro, vivia um tempo particular. Se pudesse, pegaria um ônibus espacial e passaria o dia em netuno ou plutão. Chutou um viralata, assustou criancinhas, pisou num mendigo. Não respirava, mordia o ar. Dos seus poros rescendia o perfume da falta de paciência, de inocência, de clemência. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

03/07/2014 - É ela, é ela, é ela

É moleca reinando na minha mão. É piveta fugindo na escuridão. É menina voando como bolha de sabão. É moça querendo dizer sim quando diz não. É mulher com força de arrebentação. É mocinha me tomando por seu vilão. É princesa rompendo seu castelo de ilusão. É estrela no palco no monólogo da provocação. É anja pecando já na segunda intenção. É trapezista no céu da alucinação. É mágica com truques de sedução. É amazona marcando o estradão. É fêmea trazendo à tona um tempo de suspiração. É artista fazendo do amor sua vocação. É gata miando aos ouvidos em semitom. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

03/03/2012 - É Eliana Calmon

Quem é aquela mulher de palavras tão afiadas quão o machado de Xangô? Quem é aquela mulher forjada no fogo e no vento dos orixás? Quem é aquela mulher que mais parece uma Santa Bárbara de toga? Quem é aquela mulher temporal de sentimento? Quem é aquela mulher, guerreira por natureza, que não se desvia um milímetro sequer de suas ideias e de seus ideais? Quem é aquela mulher que casa as buscas por sabedoria e justiça de forma tão perfeita?

Quem é aquela mulher que seduz pela força de suas palavras, pela intensidade de seus atos, pela paixão que exterioriza em suas batalhas? Quem é aquela mulher que não se esconde por detrás de um título ou de um cargo? Quem é aquela mulher que abraça os rituais processuais e místicos? Quem é a mulher que transcende aos reinados de Oyó? Quem é aquela mulher que quebra as demandas judiciais e destranca o caminho da esperança? Quem é aquela mulher múltipla?...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

26/11/2014 - E então isso e aquilo

E então me beijaram. E então me arranharam. E então me apaixonaram. E então me despiram. E então me sorriram. E então me viram. E então me procuraram. E então me acharam. E então me pegaram. E então me sumiram. E então me reencontraram. E então me tomaram. E então me possuíram. E então me despiram. E então me estranharam. E então me morderam. E então me bateram. E então me prometeram. E então me falaram. E então me calaram. E então me roubaram. E então me leram. E então me compreenderam. E então me tomaram. E então me arrepiaram. E então me puxaram. E então me gozaram. E então me enlouqueceram. E então me venceram. E então me viveram. E então me dominaram. E então me soltaram. E então me inflaram. E então me roeram. E então me escreveram. E então me doeram. E então me acompanharam. E então me juraram. E então me amaram.


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/02/2012 - É Ewá!

Quem é que está cantando lá fora? É Ewá! Quem é que se veste de rosa? É Ewá! Quem é que é a dona das coisas alegres? É Ewá! Quem é que a senhora das mutações? É Ewá! Quem é que faz esculturas com nuvens? É Ewá! Quem é que é o início da chuva? É Ewá! Quem é que transforma a água em seus diversos estados? É Ewá! Quem é que influencia o nosso comportamento, que mexe com o nosso destino? É Ewá! Quem é a menina cheia de encantos e magias? É Ewá! Quem é o reflexo dos raios do sol? É Ewá! Quem é que leva uma cobra enrolada no braço? É Ewá! Quem é a dona de um dos mais complexos rituais dos terreiros? É Ewá!...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/04/2008 - E foram felizes para sempre

Era uma vez... Não me lembro qual foi o primeiro livro que li, de vontade própria, do começo ao fim. Recordo de dona Beth, uma professora do ginásio, que em suas aulas de português levava uma caixa cheia de livros. Era uma espécie de biblioteca itinerante. Líamos aquelas histórias durante a semana e depois recorríamos à caixa novamente. Tocar os livros, namorar a capa, navegar pelas letras, sentir o cheiro daquele papel, marcar cada página com olhos e digitais, levá-los pela mão, abri-los no momento mais inesperado, emocionar diante de seu desfecho... ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

27/09/2012 - É hoje

É hoje. E somente hoje. Amanhã não será mais e ontem não foi. É hoje. É hoje, indiscutivelmente, o momento. É hoje que o sentimento se dá de forma única. O vento que venta hoje não ventará nunca mais. A água que corre hoje não voltará nunca mais. A folha que cai hoje nunca mais voltará a ser árvore. A novidade de hoje amanhã estará perdida no fundo do baú da eternidade. O beijo dado hoje nunca mais será recebido. A palavra dita hoje não terá o mesmo significado ou força ou pretensão amanhã. A mocinha de hoje amanhã poderá ser vilã. O sonho mais procurado hoje amanhã poderá não passar de uma febre terçã. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

08/12/2008 - É hora de superar Tristão e Isolda

É necessário que haja a vitória do sofrer para uma história de amor ser aplaudida? Este é o dilema que fez o filme Romance, protagonizado por Wagner Moura e Letícia Sabatella, revirar minha cabeça desde que deixei o cinema. Os atores dão vida aos personagens Pedro e Ana, que trazem à tona uma versão contemporânea do romance medieval Tristão e Isolda. Essa obra teria reinventado a idéia de amor, influenciando, inclusive, Romeu e Julieta. Ou seja, tudo o que vivemos em matéria de amor é resultado desta lenda celta. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima