Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 208 textos. Exibindo página 5 de 21.

15/12/2011 - É preciso ter fé

É preciso ter fé no vôo do pássaro para que ele continue suspenso no ar. É preciso ter fé na chegada da primavera como começo dos milagres. É preciso ter fé na chuva para ter a alma lavada. É preciso ter fé no que há lá fora para que possamos cultivar o que há aqui dentro. É preciso ter fé no que existe detrás do espelho. É preciso ter fé no que ainda não foi dito, escrito e feito. É preciso ter fé nas imagens que não se apagam da nossa memória. É preciso ter fé que a tristeza um dia vai se alegrar. É preciso ter fé de que mais dia menos dia seremos parte de uma história que outros vão querer contar. É preciso ter fé no senso de humor divino. É preciso ter fé no novo que há no velho. É preciso ter fé na escuridão para que o brilho das estrelas não seja em vão. É preciso ter fé em cada batida de um coração. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

07/01/2014 - E quando tudo

E quando tudo se assumiu, e quando tudo se resumiu, e quando tudo caiu, e quando tudo ruiu, e quando tudo faliu, e quando tudo frio, e quando tudo explodiu, e quando tudo partiu, e quando tudo cuspiu, e quando tudo latiu, e quando tudo sumiu, e quando tudo e quando tudo atingiu, e quando tudo fugiu, e quando tudo partiu, e quando tudo feriu, e quando tudo compeliu, e quando tudo mentiu, e quando tudo dormiu, e quando tudo coloriu, e quando tudo sucumbiu, e quando tudo sentiu, e quando tudo saiu, e quando tudo se viu, e quando tudo sombrio, e quando tudo proibiu, e quando tudo pediu, e quando tudo frigiu, e quando tudo pariu, e quando tudo descobriu, e quando tudo vazio, e quando tudo proferiu, e quando tudo fingiu, e quando tudo se viu, e quando tudo navio, e quando tudo desferiu, e quando tudo se despediu, e quando tudo existiu, e quando tudo arrepio, tudo, tudo, tudo sorriu, sorriu, sorriu, ou, ao menos, deveria ser (ter sido) assim...


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/01/2014 - E que o amor seja

E que o amor seja tudo. E que o amor mude o mundo. E que o amor seja fecundo. E que o amor se redimensione amor. E que o amor esteja em todas as coisas nossas. E que o amor se fortaleça mesmo com todas as fraquezas. E que o amor esteja cada vez mais próximo. E que o amor seja cultuado todo santo dia. E que o amor seja presente mesmo quando nos quiserem ausentes. E que o amor seja puro, de uma safra única. E que o amor solte foguetes mesmo quando tudo for silêncio. E que o amor rompa o tempo. E que o amor seja unguento. E que o amor ignore todo o pessimismo. E que o amor saiba seguir seu destino. E que o amor seja incondicionalmente convicto de ser amor. E que o amor se transforme em mais amor. E que o amor tome conta de tudo o que é seu. E que o amor se reinvente para ser cada vez mais do mesmo amor. E que o amor nunca desista do ser amor.


Comentar Seja o primeiro a comentar

E que tudo mais

"Por que não se cala"?! Era uma vez um rei da Espanha que mandou um presidente da Venezuela calar a boca em uma reunião e essa bronca virou hit mundial. O cale a boca real virou toque de celular, vídeo de internet, gíria da garotada. Atenção: não estou defendendo o showman Hugo Chavez e sim a tese de que o desrespeito é a grande sensação da sociedade atual. Em todos os hemisférios, em todos os pólos, seja nos palácios ou nos guetos, seja na casa do vizinho ou no fundo do nosso quintal, o desrespeito está presente....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/11/2011 - E se não fosse você

E se não fosse você, qual seria o porquê dessa caminhada por abismos e desertos, pisando em pedras, espinhos e desafetos? E se não fosse você, qual seria o meu teto, o meu trajeto, o meu traje de passeio completo? E se não fosse você, onde estaria o exagero e o discreto? E se não fosse você que nome balbuciaria em meu dialeto? E se não fosse você quem eu desejaria perto?

E se não fosse você, onde eu colocaria todas as razões, motivações e pretextos para subir, cair e seguir em frente. E se não fosse você, onde se encaixaria e, se enlaçaria e se abraçaria o elo da minha corrente? E se não fosse você o que seria do meu “eu” mais carente? E se não fosse você teria de me transformar num outro tipo de tempo, nem consciente nem onipresente, um tempo simplesmente ausente. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

16/02/2013 - E se um meteoro...

E se um meteoro se chocasse contra a Terra, o que seria da delicadeza dos sambas de Paulinho da Viola? E se um meteoro se chocasse contra a Terra, nossas paixões teriam o mesmo fim dos dinossauros? E se um meteoro se chocasse contra a Terra, quem descobriria tantos poemas que atualmente estão no fundo das gavetas. E se um meteoro se chocasse contra a Terra, quantas maçãs deixariam de ser mordidas por Evas?

E se um meteoro se chocasse contra a Terra, quem defenderia o pavilhão da Estação Primeira de Mangueira? E se um meteoro se chocasse contra a Terra, os palcos ficariam vazios de dramas, de comédias, de suspenses e de outras tramas? E se um meteoro se chocasse contra a Terra, quem encontraria os nossos corações fossilizados? E se um meteoro se chocasse contra a Terra, amantes se perderiam de vez de suas amadas?...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

27/07/2013 - E seu bicho, como ama?

Os cachorros amam fielmente, com lealdade e devoção. Os gatos amam de forma elegante, mas com total independência. Os pássaros amam de forma arisca, doando um pouco de sua música e de seu céu. Os cavalos amam com direito a trotes e galopes, permitindo ser montados. Os peixes amam deixando ser fisgados. Os coelhos amam aos montes. Os elefantes amam em bando. As vacas amam, por entre tetas, dando o próprio leite, assim como as galinhas amam chocando novas galinhas. Os macacos amam dando banana. Os galos amam no papel de relógios pontuais e afinados. Os tubarões amam, com sangue e honra. Os jacarés amam fadados a virar presentes apaixonados, de sapatos a bolsas. Os lobos amam de forma platônica, uivando à lua....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

15/11/2009 - É só pão

Pela manhã, em especial, há uma multidão que caminha carregando sacos de papel tão frágeis quão desejados. São pessoas amanhecendo o dia em busca de pão. Pão quentinho, pão fresco, pão nosso de cada dia. Muitos, ainda com olhos de sono, correm à padaria mais próxima. E, entre pães, encontram vizinhos, conversam com conhecidos, reparam no tempo e no movimento de casas e ruas recém-acordadas. Há toda uma poética no ato de comprar pão. Pena que essa poesia não é mais completa, já que “fazer” pão deixou de ser uma arte sagrada. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

E tudo era saudade

Uma cortina de fumaça. Contrariando dermatologistas, o chuveiro no modo inverno no mais infernal dos verões. Gostava daquela fumaça. Talvez se sentisse mais protegida, talvez lembrasse de efeitos especiais, talvez se sentisse acariciada por aquelas moléculas de hidrogênio e oxigênio em pleno estado de vapor. Independente dos talvez, já havia se separado das peças de lingerie. Era pele e vapor. Nenhuma barreira. Nenhum impedimento. O banheiro pequeno não permitia que ela se perdesse. O chuveiro escorria como uma cascata de apartamento. Não se preocupava com o desperdício de água, com a conta da energia elétrica, aquele era um momento só dela, nada que o gerente do banco ou uma dezena de ambientalistas pudessem estragar. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

20/05/2015 - É tudo silêncio

Tudo tão quieto, tão quieto, tão quieto de se ver... O mar virou deserto pra nem as ondas barulhar... Onde esse silêncio todo vai dar? Quem é que vai querer, querer falar? Não se pode nem beijar se for pro beijo estalar... Como é que vai ficar essa mudeza toda? Nem as notas do café caem mais sobre a mesa... A beleza não grita e a tristeza não chora de soluçar... Ninguém arrasta sandália, mãe com criança não ralha, do céu sumiram as gralhas... E agora, e agora, e agora? Carro na rua já não passa, baderneiro não faz arruaça, urubu não sai rindo depois de achar uma carcaça... Cachorro não late, lavadeira não bate, moleque não dá combate... Não há música alguma a solta. Ninguém ameaça o senhor silêncio que governa as bocas com suas mordaças roucas... ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   3  4  5  6  7   Seguinte   Ultima