Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 207 textos. Exibindo página 2 de 21.

10/08/2016 - Devora o meu coração

Do primeiro ao último pedaço, meu coração é todo seu. Devore-o.

Devore-o por inteiro, no seu ritmo, lambuzando-se de prazer. Permita-se saborear tudo o que meu coração pode te oferecer. E não se faça de rogada em se satisfazer a cada batida, a cada pulso, a cada mordida.

Lamba. Coma. Engula meu coração. Graças ao meu amor você pode ser uma mulher de dois corações – o seu e o meu, conferindo-te todas as forças necessárias para realizar o que bem quiser. Devora meu coração no seu ritmo, com a certeza de que ele é todo seu, do primeiro ao último pedaço. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

08/08/2016 - De sonho e de fé

De sonho e de fé, tento me manter de pé. De sonho e de fé, eu vou até onde o amor quiser. De sonho e de fé, tenho em você a certeza de vida em forma de mulher. De sonho e de fé, amando além de onde der. De sonho e de fé, vou de cafuné em cafuné. De sonho e de fé, cavalgando em frente de Pégaso ou de pangaré. De sonho e de fé, amando como Maria e José. De sonho e de fé, quebrando mau-olhado com figa e guiné. De sonho e de fé, com boca de sacolé e olhos de igarapé. De sonho e de fé, que venha o que vier porque por esse amor vou além do que puder.


Comentar Seja o primeiro a comentar

01/08/2016 - Dia cinzento

Meu dia amanheceu cinza. Nem preto nem branco, mas cinza. Um cinza monocromático sem graça, melancólico, desanimador por si só. As pessoas passavam cinzas, as árvores balançavam cinzas, os carros iam e vinham cinzas. Tudo acinzentado, pesado, amargurado. E então você chegou e feito broto que quebra o concreto todo o cinza ruiu. Como uma explosão causada por seus olhos verdes atômicos o meu mundo novamente se coloriu. Nem mesmo as pedras restaram cinzas, tornando-se quartos verdes, rosas e cristais. As árvores verdejaram. Os rios azularam. E o sol não amarelou, pelo contrário, avermelhou como seus cabelos trazendo o fogo da vida novamente ao meu planeta, que sem você era de um cinza de fazer careta.


Comentar Seja o primeiro a comentar

21/07/2016 - Dentre tantos começos

Espero que eu tenha te ensinado algo de bom assim como você me ensinou a ser uma pessoa melhor. Do fundo do meu coração, torço para que alguma das minhas sementes brote, cresça, de flores e frutos em sua vida. Quero vê-la feliz como sou feliz cada vez que estou ao seu lado, que escuto a sua voz, que sou parte da sua estrada. Aliás, por falar em estrada, muito obrigado por me deixar caminhar mais uma vez ao seu lado. Com todo sentimento, que haja cada vez mais encontros e reencontros do que desencontros no tocante a nós. Que todo esse amor que eu sinto por você seja útil de alguma forma no seu dia de hoje, pois amanhã eu acordarei para te dar tudo – e até mais - de novo. Eu não termino e nem recomeço porque nunca terminei, na verdade, eu começo todo dia por você, pra você, em você. E dentre tantos começos que algum seja escolhido por você para ser pra sempre.


Comentar Seja o primeiro a comentar

17/07/2016 - Desperdiçando sonhos

Caminha com passos sonolentos. Como barqueiro na tempestade, deixa o mar assumir o controle. E o mar, no caso dela, é a vida que a leva como em ondas. Está sempre com pressa, dona de pouco tempo, porque, simplesmente, não está no timão. Se timoneira fosse, dava uma guinada no destino. Mas anda preferindo ser espinho a flor. E o que pode fazer o coração se ela não o permite? Convite a um novo tempo não faltam. Saltam aos seus olhos todas as possibilidades, mas ela insiste numa realidade de incompletude. E a saudade do que poderia ser e não é vem amiúde. E com passos sonolentos ela passa desperdiçando sonhos sem tomar uma atitude.


Comentar Seja o primeiro a comentar

25/06/2016 - Do impossível ao possível

Nunca fui tão longe. Nunca ultrapassei limites como agora. Nunca me expus, me sangrei, me humilhei dessa forma. Coloquei minha vida nas mãos de uma mulher. E por ela, sou capaz de fazer tudo. Todo o bem deste mundo. Por ela, me transformei. Por ela, cheguei num nível de amor que eu só conhecia na ficção. Por ela, eu me doei de um jeito que nem mesmo eu, um sonhador, um apaixonado, um poeta amando como poeta, acreditei ser possível. Tudo o que eu podia falar, fazer, demonstrar eu fiz. Coloquei meu coração nas mãos dela. Fui sincero em cada palavra. Fui verdadeiro como o amor que tenho por ela, falando coisas que jamais falei ou falaria. Eu me confessei a ela numa doação completa. Talvez ainda seja pouco. Mas eu cheguei onde jamais pensei chegar um dia. Ela conseguiu de mim o que nunca ninguém havia conseguido. O que ela pedir, eu faço. O que ela quiser, eu dou. O que ela sonhar, eu realizo. Não poupo esforços e ignoro qualquer dificuldade quando o assunto é ela. Sou capaz de tudo para provar que ela é a mulher da minha vida e para cultivar esse amor. Por ela, venci tantos medos. Por ela, fiz-me melhor. Por ela, busco a perfeição. Sim, quero que tudo com ela seja perfeito. Ofereço um amor impossível de dimensionar, uma vida de sonho e uma estrada nova, construída a cada gesto, a cada olhar, a cada atitude, a cada confirmação desse sentimento que nos une, nos motiva, nos evolui. O que eu quero para ela? O melhor. O bem. O fantástico, o extraordinário, o surpreendente. Ela não merece uma vida óbvia, mesquinha, entediante. Eu sei o quanto ela pode brilhar, o quanto ela pode voar, o quanto ela pode ser feliz e realizada. E o meu amor é para tudo isso e muito mais. Como disse, nunca fui tão longe, mas talvez ainda seja pouco. E confesso que posso fazer ainda mais, muito mais, basta ela permitir, pois eu, por ela, perdi a fé no impossível. Por ela, eu faço possível. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

14/06/2016 - Do que tu se escondes?

Menina, por que é que tu se escondes? De quem é que tu tens medo? É do bicho-papão? É da pisadeira? É da solidão? Menina tu me contas o segredo desse seu sumiço. É algum enguiço? Tanto mistério. É sério... tem ameaça? Quem é que a caça? Menina, me conta que passas. Tu queres que eu ajude? Tu queres que eu mude seu coração de lugar?

Menina, tu sabes que não há nada melhor para espantar assombração do que arrumar a casa, mudar os móveis de posição. Deixa eu mudar seu coração de lá pra cá. Presta atenção, bota ele bem aqui na minha mão. Menina, tu precisas de um abrigo, de um anjo ou de guardião? Menina tu vejas que eu sou tudo isso num só. Tu não estás só não. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

03/06/2016 - De que adianta tudo isso?

De que adianta o cupuaçu sem o açaí? De que adianta o flamingo sem o rosa? De que adianta o encaixe perfeito sem poder estar perto? De que adianta Julieta sem Romeu? De que adianta o amor-maior se não for para vivê-lo? De que adianta a princesa sem o reino? De que adianta um conto de fada sem final feliz? De que adianta a beleza de uma tela sem uma moldura que combine e a proteja? De que adianta ter a certeza de que dois corações nasceram para viver juntos mantendo-os separados. De que adianta viver se perdendo tendo a chance de se achar? De que adianta amar e não se entregar? De que adianta o amor da sua vida aos seus pés tendo medo de vivê-lo? De que adianta uma família incompleta quando tem a chance de ser completa? De que adianta todo o amor do mundo sem uma chance, sem uma segunda chance. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/05/2016 - Devoto do amor demais

E foi como se o cupido com suas flechas graúdas e pontiagudas mirasse contra o meu peito querendo uma execução sumária. E, assim, alvejado pela paixão desmedida, graças a uma overdose cupidiana, fui a nocaute. Perdi o chão. Perdi a visão. Perdi o sentido, a realidade, o medo, o limite. E fui para cima dos meus princípios, derrubando um a um como peças de dominó enfileiradas. Deixei de pensar, para sentir. Mergulhei no desconhecido e amei, e amei, e amei demais. Não sei o que houve entre as flechas acertarem meu peito e o hoje. Fui tomado pelo sentimento e me entreguei ao êxtase. Ainda não sinto as dores, embora o corpo físico esteja exaurido, marcado, ferido pela avalanche da paixão que rola dia e noite. Mas o amor não dói quando o amor é maior que a dor. E seja lá qual tenha sido a motivação do cupido – se por brincadeira ou por experimento – eu agradeço, pois sou devoto do amor demais.


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/04/2016 - Donos destas terras

Hoje é dia dos donos destas terras. Hoje é dia dos primeiros, dos nativos, dos originais. Hoje é dia dos que entendem do mato, das águas, das pedras porque são parte de tudo isso. Hoje é dia dos que se pintam para o amor e para a guerra. Hoje é dia dos que sabem despertar a natureza. Hoje é dia das lendas vivas. Hoje é dia de fogueira, arco e flecha e tribo. Hoje é dia de sobreviver, de não ser apagado da história. Hoje é dia do amor tupi, tupiniquim, tupinambá. Hoje é dia de curumim, cacique, pajé. Hoje é dia de índio como todo dia deveria ser. Hoje é dia dos donos desta terra.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima