Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 100 textos. Exibindo página 3 de 10.

12/11/2015 - Veja quem é

Oi, estou de volta
Vê se não me solta
Desta vez e nunca
Jogo aos seus pés
Meu eu mulher
Beijo a sua nuca
Boto-a maluca
Colo sua fé
No meu santo
Dou meu manto
E todo meu café
Beba-me tanto
O quanto puder
Oi, abra a porta
Veja quem que é
Estou de volta
De volta, mulher.


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/11/2016 - Veja, veja quem é

Quem é que tem asas?
Quem encanta toda a casa?
Quem, mesmo dormindo, arrasa?
Quem pisa em brasas?
Quem a paixão em passos extravasa?
Quem é que está além da Nasa?

É a bailarina
Que mina toda lindeza que há
Mina beleza, mina delicadeza
Mina proeza, mina realeza
Mina a menina que relampeja

Veja, veja, veja... quem é?
É a bailarina
na ponta do pé!


Comentar Seja o primeiro a comentar

Vela-me

Quatro velas ardem ao meu lado
Quatro velas amareladas pelo tempo
E minha pele esbranquiçada
Arde minha falta de tempo
E o que é mesmo o tempo?
Ah! Deixa isso pra lá...
Minhas mãos
Que sempre andaram separadas
Seja pela distância anatômica
Seja pela distância ideológica
Direita e esquerda
Seja pelo ódio e pelo desejo
De serem tão iguais
Minhas... Minhas mãos nunca... Nunca!
Nunca estiveram tão unidas...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Velador de sonhos

O quanto quiser durma
Sob pedras ou penas
Apenas
Não suma.
Durma
E sonha no tom das patativas
Cativantes de ilusões
Que adejam aos corações
E se alojam após tentativas
De ódio e perdão.
Como anjos efêmeros, durma
Durma enquanto a velo
E aos poetas apelo
Uma benção de poesia
Àquela que tentei não me dar
E me dei no verbo amar.
Ah! Se a vida quisesse merecer
Este que te vela por poeta
Defender-lhe-ia do sofrer...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Velas ao mar

Copos na mesa do canto
Mãos que não são minhas
E a vontade de acariciar
O que é mais vazio
Do que um copo amanhecido
Do que o aceno da separação.

Beber o silêncio de um copo
Ou beijar o adeus de outra mão?

E no fundo do copo
E na palma da mão
A saudade é a mesma vela
Que escorre
Em gotas frias e secas

E na palma do copo
E no fundo da mão
A saudade é a mesma tela
Que nos emoldura
Na mesma separação.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Velas de sal

Quem é a mulher que vai
E se esvai
Como onda que serpenteia

Mulher de lua alta
Mulher de maré cheia

Mulher que me inunda
Em tua falta
E me clareia
Como a luz funda
De um farol
Que se incendeia
Ao pôr do sol

Mulher que cavalga
No lombo do cavalo marinho
E corre por entre o linho
Vermelho das algas
Que prendem os timões
Dos naufragados galeões

Mulher que tem o diário...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Veleiros negros

Velas
Sopradas pela noite
Veleiros, veleiros negros
Se esparramam
Pelo mar escuro
Sem bússolas
Sem faróis
Sem âncoras.
Não há marinheiros,
Piratas ou tubarões.
Veleiros fantasmas
Que cruzam os sete céus
Vigiados pelos olhares
Que se vão longe, longe, longe...
Veleiros
Deslizando sem destino
Se perdem
Em tantos encontros,
Somem e surgem
Entre ondas
E nuvens.
Veleiros, veleiros negros...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

30/04/2017 - Velejante

Velas, ventos, ventanias
Sou veleiro
De brisas e cheiros,
De tempos e temperos...

Velejo pelos tons carnais
Dos seus lábios matinais
De um outono sem dono
De uma rainha sem trono...

Velejo entre o céu e o adeus
Pelas tardes onde arde
O seu corpo junto ao meu,
Ai, me morde e assopra
Intensa como ópera....

E pelas noites de açoites
De mares gemidos, atrevidos,
Velejo...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/12/2014 - Vem me pegar

Ai, sem cerimônia, vem,
Vem e me pega e me toma
Com sede de retirante

Ai, sem parcimônia, vem
Vem e me pega e me come
Com fome de amante


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/08/2015 - Vem pro Samba

A noite em falta
Ouvindo a serenata
De um grilo grená
Ficou um tanto alta
E saiu a tropeçar
Na lua de prata
No astronauta
Na estrela de bata
Querendo dançar
E se pondo a rodar
A girar e soluçar
Do amor perdido
Nunca esquecido
Que sempre a dizia
Noite boa e de fantasia
Vem pro samba sambar


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima