Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 184 textos. Exibindo página 1 de 19.

17/02/2016 - Maçã de Macaé

A maçã morenou
No pé
Avermelhou
Como mulher
No sol da manhã
De Macaé
Quem quer?
Quem quer?

Quem quer morder
A maçã avermelhada
Quem vai querer
Dar uma mordiscada
Na fruta do sol
Na gruta do caracol
A maçã já madurou
Que até bem cheirou

É maçã perfumada
Aveludada e colorada
Maçã que dá no pé
Pra molecada
É só raspar de colher
Neném ou abrir no meio ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

Madrugada

Estrelas na calçada
Já é madrugada
A cidade dorme
Em ruas tortas
E a saudade
Ganha teu nome
Por entre lençóis
Tão sós.

Faz frio
Fazem sonhos
Enquanto
Tão sozinho
O passado
Cochila
Enrolado
Em trapos
Que ele juntou
Das dores que rasgou.

Estrelas na calçada
Já é madrugada...


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/05/2015 - Mãe

Me deste teu ventre, teu leite, minha vida
Tanto do teu sono, teu sonho, meu nome
Fizeste-me tua lida, mataste minha fome
Me deste tuas lágrimas a cada despedida
Teus conselhos e joelhos dobrados em fé
Me deste tua lida, tua comida, minha sina
Me deste teu fim menina teu início mulher
E o despetalar acabando em bem-me-quer
Me deste atenção, dedicação, profissão
Me deste ouvidos ao meu etecetera e tal
E apostas na minha prosa sentimental ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

13/06/2015 - Mãe Clarividente

Minha Mãe Clarividente
Olhe por toda essa gente
Por que esse Vale é seu
Você partiu a outros planos
Mas sem jamais dizer adeus
Não há qualquer engano
Em dizer que você ficou aqui
Neste templo, nestas pedras,
Nestas fotos, nestes corações,
Nestas flores, no que não medra,
Nestas vestes, nestas canções,
Nestas chaves, nestes trabalhos,
Nesta nossa jornada sem atalhos,
Você ficou e continua tão viva
Qual altiva como Mãe Clarividente...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

08/05/2016 - Mãe de tudo

Mãe de todas as vidas
De todos os corações
De todas as saudades
Mãe das flores, dos rios,
Dos coqueirais, dos ares,
Mãe de tudo o que se move
De tudo o que frutifica
De tudo o que sentimenta
Mãe dos bolos, das costuras,
Do colo, das canções de ninar
Mãe daquilo que quer perto
Do que ninguém aparta
De uma defesa implacável
Mãe dos mimos, das preces,
Das comidinhas, das broncas
Mãe de todas as frentes ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

24/06/2009 - Mãe do sol

Sol
Da esperança
Solda
O futuro à infância
Soldada
Das tempestades e da bonança
Ah! Auxílio Auxiliadora
Minha explosão vindoura
Me coloca em teu fronte
De guerra
Me mostra outro horizonte
Além terra
Quero empunhar a lança
Deste amor
Quero ser criança
Em teus braços
E fazer do teu abraço
Meu escudo
E dessa caminhada a pé
O ludo
Do mais lúdico universo
Onde habita minha fé...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

24/06/2013 - Mãe dos pedidos

Mãe das estrelas cadentes
Ouça os meus pedidos
Que cortam o céu latente
Em pleno São João

Mãe das frontes e fontes
Recolha os meus pedidos
Erguendo mais e mais pontes
Entre o real e a imaginação

Mãe dos altares estelares
Cuida dos meus pedidos
Espalhados pelos mares
Em garrafas de sublimação.


Comentar Seja o primeiro a comentar

14/11/2015 - Mágico deus

Deus
Continua mágico
Aprontando das suas
Tirando amores da cartola
Cheio de cartas na manga
Brincando de ilusionismo
Estando ali
Mesmo sem ser visto

Deus
Continua mágico
Fazendo seus milagres
Sem revelar seus truques


Comentar Seja o primeiro a comentar

Magnífica Auxiliadora

Mãe,
Mãe de todo amor
Fonte de ardor
E perdão,
Cor do céu
Véu e coração
És linda
Como o verso...
Senhora infinda
Da canção
Do universo

Mãe,
Mãe da humanidade
Sonho e realidade
Espalha teu canto
De flores
E amores mil
E dá teu auxílio
A cada filho,
Coloca-os para ninar
Em teu olhar
De anil.

Mãe,
Mãe das nuvens
Do sol e das estrelas...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

Mágoas

A vida é uma barca
Atirada ao mar
Exposta ao vento
Os horizontes são magoas
De um marujo
Que lança seu lamento
Sem garrafa, sem carta
Lamenta as águas
Que o soberbam
E o temporal se une ao mar.

No enlace do vendaval
Amores passados
Olhos desolados
Lamentos abandonados
O futuro naufragado
O timão gira, gira
Bêbado em deriva
Louco gira gira
Não tem rumo
O mar é um túmulo
Nada dentre o lamento...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

      1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima