Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 200 textos. Exibindo página 1 de 20.

20/01/2017 - Mais uma dose de amor

Shiuuuuuu
Amo em silêncio
E penso
Que ninguém
Viu ou ouviu
Alguém
Amar assim
Um dia
Pleno
De poesia

Em overdose
Amor é veneno?

Desce mais uma dose
Porque o amor
Ainda é pequeno.


Comentar Seja o primeiro a comentar

01/12/2016 - Menos sofrimento e mais amor

Nunca estamos preparados para mortes brutais, como a que se abateu sobre os jogadores da Chapecoense e demais passageiros do avião que caiu na Colômbia. É bem verdade que temos mais facilidade em aceitar a perda de alguém, com idade avançada, um tanto debilitado, depois de ser derrotado em uma longa batalha por alguma doença. A morte de jovens, sonhadores, vitoriosos nos deixa sem chão. Difícil de assimilar, de explicar, de digerir.

Porém, nada disso justifica a exploração, a exposição, a banalização do sofrimento pela mídia. A TV fala na tragédia o dia todo, trazendo velhos novos fatos, cutucando feridas, remoendo informações até a última gota. Sites de notícias fazem o mesmo. Até as redes sociais estão replicando a dor. Imagino os parentes das vítimas, totalmente fragilizados, sendo submetidos à tortura sem fim dos meios de comunicação. Ora um jogador está vivo ora está morto. Ele está bem, mas pode ficar paraplégico, perder mais uma perna. Quem é o culpado? Podia ter sido diferente? E o que fulano tem a falar sobre isso? O resultado de tudo isso é simplesmente desumano. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/11/2016 - Moleque atrevido

E quando tudo na vida parece perdido e sem graça... vem o destino, tal moleque atrevido, e nos encaixa.


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/09/2016 - Minha grande questão

No meu canto
Entre o murmúrio
E o pranto
Sem mais porquê
Eu me pergunto
De você

Você que levou
O meu assunto
Meu encanto
Numa ferida
Que mercúrio
Não cicatriza

E nas minhas
Retinas
A gente reprisa
Como um filme
De idas e vindas
Que o vento
Não levou

Carregou
Nossas noites
Meninas
Sem sentimento
Num açoite
Num crime...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

11/08/2016 - Minha obra-prima

Eu já não saio às ruas procurando alguém. Eu já não fico mais nua como as minhas retinas que enxergam nudez em tudo. Eu já não sou mais deste mundo. Eu já não sou mais tua. Eu já não apanho da vida. Eu já sei o tamanho da despedida. Eu já não sou mais daqui, mas continua atrevida, querendo sorrir mesmo quando não é tempo de florir, de colher, de gozar.... Eu já não me permito mais murchar – eu quero amar, amar e amar. Eu já me entreguei, me iludi, me zanguei, me feri, me danei, me parti e me vi como sombra da sombra da sombra do amor que tive. Eu já me decidi – agora ninguém me tomba, chega de declive. Eu já não sou mais de me acabar pro conta de um desaforo. Eu já não quero mais ser mina brotando choro. Eu já me importei demais com quem não me deu paz. Eu já disse muito sim para quem só me disse não. Eu já levei tapa na cara, agora para, para, para, pois minha tara é carinho e atenção. Eu já bailarina, já fui esquina, já fui colombina, hoje sou minha obra-prima.


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/08/2016 - Minhas madrugadas

Minhas madrugadas são desnorteadas pela sua falta. É uma febre de solidão que não me dá alta. Tudo, tudo, tudo cai no buraco sem fundo do mundo. Por você, ando mudo, ando surdo, ando cego e prego à lua toda madrugada o que há entre o poeta e a mulher amada. É tanto sofrimento, é quanto sentimento, é tanto corpo ao relento. Meu íntimo orvalhado esperando pelo que você tem me guardado. E é tudo tão vazio, é tudo como um rio que leva tudo de mim, é tudo como um rio que me leva de mim sempre ao encontro de você. Um violão chora no canto. Um preto-velho me fala de encanto. E eu olho o nosso lençol e o vejo como seu manto. Sua coroa sou eu. Abra as portas da madrugada e se consagre rainha na calada da minha paixão, que é imensidão e devoção. Entre nossos corpos colados estrelas cadentes, pés envergados de sonhos e uma gente esperando para nascer da gente.


Comentar Seja o primeiro a comentar

31/07/2016 - Mais e mais você

Tenho sofrido. Tenho resistido. Tenho querido mais e mais você. Tenho aprendido. Tenho grunhido. Tenho lido mais e mais você. Tenho perdido. Tenho vencido. Tenho vivido mais e mais você. Tenho assistido. Tenho insistido. Tenho percorrido mais e mais você. Tenho corrido. Tenho envolvido. Tenho ouvido mais e mais você. Tenho provido. Tenho promovido. Tenho absolvido mais e mais você. Tenho comovido. Tenho movido. Tenho absorvido mais e mais você. Tenho invadido. Tenho preferido. Tenho trazido mais e mais você. Tenho mexido. Tenho acrescido. Tenho abduzido mais e mais você. Tenho definido. Tenho refletido. Tenho podido mais e mais você. Tenho resolvido. Tenho cabido. Tenho seguido mais e mais você. Tenho servido. Tenho requerido. Tenho doído mais e mais você. Tenho tolhido. Tenho percebido. Tenho sentido mais e mais você. Tenho colhido. Tenho retido. Tenho conhecido mais e mais você. Tenho entendido. Tenho compreendido. Tenho cupido mais e mais você. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/07/2016 - Me conjuro a você

Eu te seguro. Eu te curo. Eu te livro de todo e qualquer apuro. Eu juro. Eu juro amor te tenho amor e faço amor. Eu te tiro do escuro. Eu trago a tua felicidade a furo. Eu te livro do muro. Eu te procuro, procuro, procuro... Eu te dou meu sonho maduro, meu sonho prematuro, meus sonhos todos eu juro. Eu desconjuro a nossa distância. Como é duro ficar sem você. Eu me asseguro na esperança de casar com você. Meu presente-futuro é você. Eu me conjuro a você e desconjuro tudo o que me leva você.


Comentar Seja o primeiro a comentar

26/06/2016 - Mais que um conto de fadas

Era uma vez, no Reino Capital, por entre as árvores tortas, coloridas e resistentes, cachoeiras e palácios feitos de curvas, céu azul e estrelado, a história de uma menina-mulher ou uma mulher-menina, como quiserem, chamada Ludy.

Ela trabalhava e sofria humilhações como Cinderela. Ela tinha sede por liberdade como Rapunzel. Ela era desprovida de medo como Chapeuzinho Vermelho. Tinha sono de Bela Adormecida e o encanto de Branca de Neve. E era bela como todas elas juntas.
...
continuar a ler


Comentários Comentários (2)

31/05/2016 - Mais que promessas

Te prometo cada gota de amor que nasce do meu veio. Te prometo todo cuidado e zelo. Te prometo não a paz, mas o movimento. Te prometo noites perfumadas e manhãs com café na cama. Te prometo ora horas de puro êxtase e ora horas de acalanto em meus braços. Te prometo dar a minha seiva pelo teu sangue. Te prometo colocar quantas flores em sua estrada eu puder, mesmo que eu tenha que fazer três, seis, nove primaveras por ano. Te prometo ser o faroleiro da sua embarcação. Te prometo embalar o teu sono e fazê-la minha sem ser seu dono. Te prometo voos e colos inesquecíveis. Te prometo ondas de luz e paz. Te prometo levá-la cada vez mais para perto das estrelas. Te prometo sentimento de verdade. Te prometo abraços de urso, beijos de beija-flor e carícias de leão. Te prometo me jogar no teu oceano, mergulhando fundo no teu mundo e trazendo à tona cada um dos seus desejos. Te prometo surpreendê-la de paixão, num romance sem tédio ou obviedades. Te prometo intensidade, cumplicidade e vontade de você. Te prometo amar os seus como os meus. Te prometo e te cumpro porque promessa deixa de ser promessa quando se promete junto, e tudo o que aqui prometo é prometido em conjunto com você, causa e consequência de todas as minhas promessas. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

      1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima