Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 67 textos. Exibindo página 2 de 7.

Lavouras

Eu lavoro
Lavouras do medo
Compro as sementes
Na venda dos seus olhos
E as enterro em mim
Cuido delas
Desde cedo
E mais tarde
As entrego
Tão doentes
A minha alma fértil...

Os medos crescem
Ficam viçosos
Mas em mim
Cresce uma praga
Que poda
Amarela
E sufoca o medo
Deixando-o fraco
Quase morto
Em minha alma fértil.

Eu sou lavoura
De medo...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

24/01/2015 - Leão voador

Deixa-me subir em suas costas e abrir todos os meus braços
Ensina-me a voar, tira meus pés do chão, leva-me às nuvens
Acaba com o meu medo de altura, faz de mim a sua loucura
Faça o impossível comigo me provando que leão que ruge
Também pode voar. Voa-me libertando-me dos meus passos
Por amor ou seja lá por que for, faça de mim seu leão voador


Comentar Seja o primeiro a comentar

Lembranças

Tu sempre valsas em meu pensamento
No fascinante baile da saudade,
Mas todo brilho desta divindade
Se perdeu na sombria noite, lamento...
Foste este o último sentimento
A agasalhar-se neste meu peito
Sagrado âmbito onde a mágoa faz leito
Incendiando o ódio do tormento.

Outrora me declaras padecer,
No teu olhar, um cristalino mar
Que te iluminas pelo luar.
Tua pele és digna ao amanhecer
Da frágil rosa em pleno florescer....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

03/11/2014 - Lembremo-nos ainda

Lembremo-nos de um tempo
De um tempo só, só nosso, nosso
Que ainda não existiu de fato
Um tempo em que caiba o retrato
Do que quero ser com você e não posso
Um tempo crônico em tudo o que há
Em matéria de sentimento
E como sentimento o que faz ou não sentido
Lembremo-nos como tempo
De um jeito menos doído
E aos gritos da realidade mais renhida
Não demos ouvidos


Comentar Seja o primeiro a comentar

30/05/2008 - Leonina

Ò minha fêmea de leão
Coração em rugidos
Ruge em meus ouvidos
O som do teu amor
E afia tuas garras
Cortando as amarras
Do pudor

Morde minha nunca
E me machuca
Me devorando
E me amando
Felina de açúcar
Fugida do hospício de mim

Por fim
Me prende
Em teus pelos
Me rende
Em teus cabelos
Me faz tua caça
Felina mortífera
E passa
Como leão passarinho...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/09/2014 - Leva-me a eito

Toma em suas mãos
Um talhão de sentimento
Derruba o mourão
Que marca o firmamento
Abra as porteiras de mim
Leva minhas intenções
Minhas vontades jasmim
Meu pensamento grilado
Por esse amor posseiro
Mais que perfeito
Que já me tem usucapião
Leva-me a eito
Tirando meus pés do chão
Leva-me de vez
Pra madurar ainda em você
Leva-me agora
Como quem leva um buquê


Comentar Seja o primeiro a comentar

02/01/2016 - Levando a flor

Toma a flor que eu te dei
E a leva por onde for
Enfrentando tempestades
E saudades das bravas
Com uma flor
Que é o que te dou
De mais puro
Flor nascida de mim
Crescida da árvore
Que sou
Não pode levar meu tronco
Minhas raízes imensas
Minhas folhas miúdas
Meus frutos que se perdem
Depois das mordidas
Mas pode e deve levar
A flor nascida de mim
A partir do nosso encontro
Para florescer seus dias...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Leviandade

Depois
Não me venha com aquele jeito de menina
Dizer
Que minha ausência foi leviana
E sentiu minha falta
Como se fosse roubada
A cada segundo
Por um pensamento meu.

Não venha
Insultar-me
Com delicadezas
Que cortam mais
Do que a luz
Fina e quente
De um âmbar.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Leviandade

Depois
Não me venha com aquele jeito de menina
Dizer
Que minha ausência foi leviana
E sentiu minha falta
Como se fosse roubada
A cada segundo
Por um pensamento meu.
Não venha
Ainda me insultar
Com delicadezas
Que cortam mais
Do que a luz
Funda
De um âmbar.


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/12/2013 - Lhe pegar no colo

Deixa eu lhe pegar no colo
Olhar dentro dos seus olhos
E lhe falar de amor
Até o tempo se esquecer de nós
Deixa, ora deixa
Deixa eu lhe pegar no colo
E me impregnar nos óleos
E perfumes de calor
Que correm por seu corpo
Que mais parece um sopro
De poesia
Solto pelo ar de Abrolhos
A dançar
A bailar
Escapando dos meus braços
Flutuando pelo deus espaço
Em busca de mais respostas
Para tanto amor...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima