Daniel Campos

Prosas

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 3193 textos. Exibindo página 8 de 320.

02/11/2016 - E vamos em frente

Hoje é o dia dos mortos. E os mortos, na verdade, nunca morreram. Continuam por aí, vivendo de outra forma, em outros lugares, com outras missões. Portanto, muito cuidado, pois nosso choro, nossa dependência, nossa vontade de tê-los conosco fazem é atrapalhar suas caminhadas. Não é fácil se desligar da Terra, da família, dos amores, dos trabalhos, do que conquistaram com muito suor, do que desejaram demais. Então, não devemos atrapalhar esse desapego com lágrimas, desejos impossíveis, tristezas irremediáveis. A dor da perda não pode ser maior que o advento da vida. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/10/2016 - Choro de ninguém

Acostumei a chorar como choram as árvores, um choro quieto e camuflado, ora seiva ora orvalho, que serve como alimento para as novas folhas. Choro é sinônimo de renovação, de mudança, de nascimento e, sem dúvida, de crescimento. Ninguém cresce ou amadurece sem lágrimas. Porém, tenho o cuidado de não deixar gosto algum de choro nos frutos que ofereço, pois ninguém merece se alimentar da minha tristeza. Aos outros, por mais triste que esteja, devo oferecer o que tenho de mais doce, forte e belo. Que venham as flores porque florir é um outro jeito de chorar. É um chorar colorido, perfumado, bonito. Quem disse que o choro precisa ser sinônimo de dor? O meu choro é o meu sustento, é o que me faz ter a certeza de que preciso de raízes cada vez mais firmes para sustentar tudo o que eu amo, o que eu sonho, o que eu desejo. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/10/2016 - Quero e quero agora

Eu quero rasgar o coração. Eu quero pedir e ter perdão. Eu quero jogar tudo para fora. Eu quero ir além do que já fui, do que sou, do que espero. Eu quero o amanhã e ontem no agora. Eu quero acabar com toda descrença. Eu quero pintar e bordar com a solidão. Eu quero saber quem é que ainda me diz não? Eu quero que o amor vença. Eu quero a presença de tudo o que me faz contente. Eu quero a certeza de que viver vale à pena. Eu quero sentimento que me empurra para frente. Eu quero amor de capoeira. Eu quero amor com eira e beira. Eu quero me despedaçar. Eu quero me entregar. Eu quero emoção para a vida inteira. Eu quero entrega sem direito a rasteira. Eu quero viver tudo de novo. Eu quero caminho aberto, sem estorvo. Eu quero quem amo ao meu lado. Eu quero ficar perto de mim. Eu quero não deixar nada guardado. Que quero lançar todas as sementes no jardim. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/09/2016 - Minha grande questão

No meu canto
Entre o murmúrio
E o pranto
Sem mais porquê
Eu me pergunto
De você

Você que levou
O meu assunto
Meu encanto
Numa ferida
Que mercúrio
Não cicatriza

E nas minhas
Retinas
A gente reprisa
Como um filme
De idas e vindas
Que o vento
Não levou

Carregou
Nossas noites
Meninas
Sem sentimento
Num açoite
Num crime...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/09/2016 - Seja lá como for

Quem se achega, se aconchega na minha cabeça, no meu coração. Quem me quer é quem me leva ou quem me traz? Quem me ama não aceita o meu tanto faz. Quem me ama quer atitude e um olhar amiúde infinito como o tempo que guardo comigo. Eu abrigo quem me pede abrigo por períodos indeterminados. Eu até hoje não sei onde começa o futuro e termina o passado. Eu só sei, meu amor, que o amor foi feito para viver lado a lado. E se esse amor estiver distante, então escreva cartas ao vento tendo tempo como amante. Eu perdoo todo mundo. Meu peito não tem fundo. Misericórdia rima com concórdia. E não concordo com tudo, mas não brigo com o que discordo, apenas fico mudo e passo porque há quem é feito de pássaro e quem é feito de aço. Todos merecem uma explicação. Mas já vou logo avisando eu nem sempre tenho razão. O meu mundo sou eu que faço. Procuro sonho e sonho traço por traço, num daqueles pontilhados de criança que vai ligando o que somos, formando uma grande esperança. Não tenho ilusões. Minhas paixões não são adiadas. A vida nos chega para ser reinventada. Então, capricho no amor e vou adiante, pois tendo amor, o restante pode ser seja lá como for.


Comentar Seja o primeiro a comentar

27/09/2016 - A verdade do que sinto

Minha verdade é uma só: o que sinto. Não há mentira alguma no sentimento que me move. O amor me carrega. Não importa para qual rumo, pois quando se ama todo caminho é válido. E eu amo. Perdidamente. Cegamente. Estranhamente. Amo de todas as maneiras, formas, modos e jeitos. Amo com e sem defeito, pois o amor é o perfeito do imperfeito. Todo amor é necessário e bem-vindo. Não há nada mais útil do que o amor que sentimos e recebemos. Vivo para amar e ser amado. Amo tanto que o amor exala de mim como uma espécie de perfume. E na minha vida não há amor perdido, bandido, esquecido... amor nasce para ser vivido. Não há mentira alguma no amor que sinto, pois se houvesse uma pontinha sequer de falsidade, por menor que seja, já não era amor. Era outra coisa. E de outra coisa não vivo, vivo de amor. Então, não há razão para eu ficar me defendendo, me explicando, me fazendo compreender... se quer saber o que sou, pra valer, busque o eu sinto. Só tenha cuidado, muito cuidado mesmo, para não se assustar com a intensidade do meu sentimento. Pois a verdade de quem ama sem interesses, sem culpas, sem limites é intensa. E eu amo de verdade, na verdade do que sinto.


Comentários Comentários (2)

24/09/2016 - Só minha

Minha. Só minha. Pode andar por aí, viver por aí, sonhar por aí, mas é minha. Só minha. Pode conversar com quem quiser, homem ou mulher, ter sua festa, sua comida, sua fé, mas é minha. Só minha. Pode voar, mergulhar, rastejar, dançar, flutuar, virar e se desvirar, mas é minha. Só minha. Pode correr mundo, correr perigo, correr pra outro, mas é minha. Só minha. Pode pular, rolar, gritar, arranhar e até beijar, mas é minha. Só minha. Pode dizer eu te amo, eu me apaixono, eu não tenho dono, mas é minha. Só minha. Pode sair com as amigas, pode dizer que não liga, pode me fazer figa, mas é minha. Só minha. Pode afirmar que nunca mais, que tanto faz, que não volta jamais, mas é minha. Só minha. ...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

23/09/2016 - Só queria a verdade

Eu só queria a verdade. Conhecer seus motivos. Saber o que a leva a cometer tamanha crueldade contra mim, contra si mesma, contra nós. O que te impulsa a trair. Tem repulsa de si própria ou acorda com a cara limpa? Chega dessa rotina óbvia, de traições e perdões. Chega de senões. É amor ou não é, o que você quer? Eu te amo para todas as horas. Mas você vem, me dá corda e diz agora chora. Por que tem de ser assim, você teimando em se separar de mim? Faz tudo para eu deixar de gostar de você, parece querer isso mesmo, mas e se eu te esquecer? O que será que vai fazer? Como vai ser quando eu não mais quiser lutar, viver e morrer por você? Como será quando deixar de habitar meus sonhos? Eu preciso da verdade, de verdade, antes de deixar de te amar, depois... pouca importa. Poderá bater, bater, bater que eu não vou nunca mais abrir a porta.


Comentar Seja o primeiro a comentar

22/09/2016 - Breves apontamentos para sempre

Não procure o que não perdeu. Não acabe o que não começou. Não insista com o que não acredita. Não minta se não se convenceu. Não apele se ainda não perdeu. Não mie se nasceu pra latir. Não fuja se não sabe o que quer. Não aja se não quer uma reação. Não peça um tempo se já decidiu. Não durma sem ter sonhos. Não ignore o amor, seja ele qual for.


Comentários Comentários (2)

21/09/2016 - O cardápio sou eu

O cardápio está posto, você escolhe o que quer devorar. Tem liberdade para escolher qualquer prato e até mais de um deles. Meus olhos, minha boca, meu colo, meus cuidados e minha paixão desenfreada estão entre eles. De uma maneira ou de outra, escolha-me e me devore. Do modo que achar conveniente, lambiscando-me ou enchendo a boca de mim, aproveite dos sabores que trago ou não escondidos em mim. Se sirva sem acanhamento. Me engula. Me morda. Me coma. Sou feito de sonhos, de sentimentos, de esperanças. Irá sentir o gosto nítido de toda essa mistura a cada bocado. Que minha poesia dê água na sua boca. Que meus versos te façam lamber o prato. E pode me comer com as mãos, com os olhos, com as línguas que tiver aprendido até então... pois meu corpo fala português, inglês, francês, latim em expressões que transcendem barreiras e regras. E vá em frente mesmo que a emoção der aquela apimentada colocando lágrimas em seus olhos. Por mais que eu seja um prato servido quente, não precisa ter pressa sequer hora para acabar. Que seja uma refeição completa, para que o que tenho em mim lhe traga sustança, vigor, vontade de viver, de querer, de poder o impossível. Pois eu sou exatamente isso, o homem perdido entre a terra e as estrelas, entre as raízes e asas, entre o ser e a imaginação. Venha, mergulhe de cabeça nos meus temperos. Apure o paladar para achar cada nota de coração que me compõe. E se não aguentar tanta intensidade, dê um tempo e volte quando a fome de mim bater mais forte que qualquer razão.


Comentários Comentários (1)

Primeira   Anterior   6  7  8  9  10   Seguinte   Ultima