Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 224 textos. Exibindo página 2 de 23.

Papel carbono

Eu abono
A sua falta
Eu, papel carbono,
Tenho seus gestos
Nas minhas línguas,
Tenho seus gostos
Nos meus braços
Embora a falta dos seus abraços
Tragam-me ínguas
De saudade
E você ainda diga
Sem parar, com todos os apostos,
Que eu
Que eu não
Que eu não presto
Para ser seu par.

Você que não tem dono
Que me perturba o sono
Não admite
Não permite
Um papel carbono
Que rouba o seu mundo...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Papel crepom

Céu azul
Sem graça
Sem aviões
Sem fumaça
Esparrama-se
Solitário
Pelos pontos cardeais
Dos casais
E corta como vidro.

Céu azul
De tão sozinho
Tenta se jogar ao mar
De golfinhos
E se arranha nos prédios
E se desfigura
E sente um mal estar
Uma ressaca
Uma tontura de solidão.

Céu azul
Campo aberto
Infinito
Que se recolhe
E se encolhe
E escorre
Feito chuva seca...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

09/08/2015 - Papel de pão

Papel de pão
Embrulha o tempo
Estampa-se de versos
Guarda o adverso
E voa leve ao vento
Mancha-se de batom
E faz um som abafado
Meio que calado
Do nosso tempo bom
Tempo em que eu
Deixava o nosso amor
Bendito ou maldito do dia
Escrito sobre a pia
Num papel de pão


Comentar Seja o primeiro a comentar

17/01/2017 - Papel de pão nº 2

Deixa eu te pegar no colo
E te dar meus olhos
Pra te guiar e aconselhar
Pelas avenidas da vida

Deixa eu te rebatizar
Te dar outro nome
Algum que só eu diga
Enquanto cê dorme

Deixa eu ser o seu lar
Estar no seu porta-retratos
Tome-me para si de fato
E me leve para o infinito

Deixa eu te amar bonito
Me casar com seu corpo
Voar feito cata-vento
No tempo do seu sopro
...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Papel poema

Dobrei
A folha branca
Da amoreira
Onde eu tinha escrito
Manuscrito
Um poema
De fogueira
Para aquela
Que diz - ame
E se fecha em origami.

Das dobras
Do papel poema
Um avião
Que voou
Em aquarela
Um vôo
Lírico
Na tela
Do cinema.

Das dobras
Do papel poema
Um barco
Que escorreu
Em rimas
Pela enxurrada
E foi a pique...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Papo-bate-papo

Saudade
Me perdoa
Se nos últimos tempos
Eu abusei dos teus abusos.
Saudade
Se quer um culpado
Não me olhe com condenação
Saiba que eu
Sou só um lado da separação.
Saudade
Já deve ter lido as cartas
Que eu deixei ao vento
Já deve saber que o meu mal
Aumenta com a distância.
Saudade
Me faça um favor
Vá e diz
Como é difícil se casar
E quiçá ser feliz
Contigo.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Para além das ilusões

Para além das ilusões
Fui lhe encontrar
Submersa
Em olhares
Que se vão por lugares
Que nem mesmo se pode esperar.

Para além das ilusões
Os lábios ficam tristes
Porque a boca da saudade existe
E insiste em nos beijar.

Para além das ilusões
Nada é para sempre
Só há o usufruto do presente
Num canto abandonado
Raiando num mar desacordado
E sem luar.

Para além das ilusões
O criador deixou de ser autor...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Para além das palavras

Para além das palavras
Lava-me
Em cada gesto meu
De eu te amo
Eu te amo
Eu te amo me percorre
Eu te amo me asfixia
Eu te amo me provoca
Eu te amo soa como um registro
De um tempo
Que ainda não acabou
Que ainda não começou
Que ainda não me disse
Que ainda não me quis
No amor sozinho
Solitário
De Orfeu e Eurídice.


Comentar Seja o primeiro a comentar

19/09/2015 - Para de se enganar

Para de mentir, de fugir, de esconder
Se sempre disse: apaixonar é sofrer...
Vacilou, se enganou, amar é sorrir,
É querer ir além do bem, é cair em si
Para de falar que a cigarra faz algazarra
Até explodir chamando por seu amor
Deixa de achar que o espinho machuca
A rosa, que o malandro enche de prosa
Aquela que por ele é maluca de paixão,
Desacredita que o coração se alimenta
De sofrimento. Quebra essa maldição,
Para de se enganar, de doer, e inventa...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

12/08/2016 - Para nascer para o amor

Quem nunca morreu
Ainda não está vivo
É preciso sair da casca
Para ganhar a vida
É preciso morrer de paixão
Para nascer para o amor.


Comentários Comentários (2)

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima