Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 97 textos. Exibindo página 3 de 10.

25/01/2015 - Quando se amam

Quando se amam, as onças pintadas misturam suas pintas. Quando se amam, as zebras fundem suas listras. Quando se amam, os jequitibás mesclam seus verdes. Quando se amam, os peixes enroscam suas escamas. Quando se amam, os grilos entram no mesmo tom. Quando se amam, as aranhas têm 16 pernas. Quando se amam, os escorpiões se envenenam sem saber. Quando se amam, as pedras mudam do lugar. Quando se amam, os ventos se dão em pés de vento. Quando se amam, as estrelas piscam. Quando se amam, as joaninhas vibram. Quando se amam, as cegonhas atrasam a entrega dos bebes. Quando se amam, os relógios se acertam. Quando se amam, os camelos são côncavos e convexos em suas corcovas. Quando se amam, os rios se turvam. Quando se amam, os barcos viram. Quando se amam, os profetas se enganam. Quando se amam, os duendes existem. Quando se amam, os rouxinóis se dão ao direito de desafinar. Quando se amam, as amoreiras se mancham. Quando se amam, as cobras se engolem. Quando se amam, os tatus se entocam. Quando se amam, as nuvens se desmancham. Quando se amam, os vagalumes entram em curto.


Comentar Seja o primeiro a comentar

06/07/2016 - Quando te encontro

Quando te encontro, desmonto. O corpo treme. O amor geme. O coração galopa peito afora. As palavras tropeçam umas nas outras. As fantasias ficam soltas. E a felicidade de tão feliz chora. E vem calor e vem frio e vem arrepio. As emoções desaguam em mim como rio. O meu ser passa a ser você. E tudo se encontra. E tudo flui mesmo eu não dando conta de controlar nada. E cada célula minha te reconhece como minha mulher amada. As mãos suam. Vejo o sol e luas que enluam. A pele cora, doura, queima. O sentimento verdadeiro teima e vem a furo. E de paixão não me seguro. A boca seca e dá água na boca ao mesmo tempo. Os pensamentos superam a velocidade da luz. E já não tenho mais pernas, o vento me conduz. Quando te encontro, o amor se faz. Quando te encontro, o amor me refaz. Quando te encontro, desmonto. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

04/03/2014 - Quando voltar, amor...

Quando voltar, saiba que eu nunca me afastei um milímetro sequer da sua presença. A sua ausência nunca me pegou, pois você dança na minha inconsciência num ritmo que desafia a ciência. A distância jamais colocou o que sinto em xeque. Meu amor não é moleque, ainda que longe sabe ser forte e manter o porte mesmo quando em choro. Quando voltar, tenha certeza de que em momento algum eu me olvidei da sua beleza, pelo contrário, fiz questão de me lembrar de cada detalhe seu, de cada entalhe de realeza em seu ser. A saudade me visitou por incontáveis vezes e em todas elas eu confessei quanta falta me faz e que eu já não posso mais viver sem comigo lhe ter. Quando voltar, que seja para nunca mais partir. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

11/04/2014 - Quando, quando, quando

Quando me chamar, eu vou. Quando me quiser, eu quero. Quando me tomar, me entrego. Quando me olhar, eu beijo. Quando me falar, eu te amo. Quando me vir, eu acompanho. Quando me pedir, eu faço. Quando me pensar, eu realizo. Quando me desejar, eu me dou. Quando me sorrir, eu abraço. Quando me fugir, eu espero. Quando me morder, eu peço bis. Quando me convidar, eu entro. Quando me render, eu já me rendi. Quando me roubar, eu deixo. Quando me tatear, eu calo. Quando me notar, eu alegro. Quando me saudar, eu saudade. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/01/2015 - Quantas de quantos

Quantas estradas existem sobre seus pés? Quantas muralhas você desistiu de vencer? Quantos caminhos você mudou? Quantas vezes você se arrependeu de não seguir seu coração? Quantas promessas você não cumpriu a si mesmo? Quantos amores você deixou escapulir por medo? Quantas saudades você não consegue disfarçar? Quanto do que já foi dado como perdido ainda segue contigo? Quantas vezes você pensou fazer diferente e deixou pra lá? Quantos destinos diferentes deram no mesmo lugar? Quantas possibilidades se tornaram impossíveis sem maiores explicações? Quantos ciclos você não fechou? Quantas palavras você aboliu? Quantas vezes você olhou no espelho e mentiu? Quantas vidas você desperdiçou? Quantos nós serão nós para sempre? Quantos ecos do passado são mais fortes do que a sua voz? Quantos desentendimentos ainda não se entenderam dentro de você? Quanto de você ficou de lado?


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/11/2011 - Quantas horas o tempo esconde?

Quantas horas o relógio esconde? Quanto tempo ele nos subtrai por detrás de seus ponteiros ou de seus dígitos? O tempo cronológico, com suas 24 horas oficiais, é muto pouo para abrigar o tempo psicológico, o tempo sentimental, o tempo astral.

Quantas horas o relógio esconde? Um beijo de segundos é muito mais intenso do que 72 horas de solidão. O gosto de uma fruta madura dura uma vida inteira na boca que a tem um única vez. O tempo é coletivo, mas repleto de individualidades.
...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

05/08/2014 - Quantas não serão você?

Em quantos olhos eu vou me jogar buscando os seus e me chamar de maluco? Em quantas bocas eu vou reclamar da falta do gosto da sua? Quantas cinturas eu vou abraçar sem achar o encaixe pleno? Em quantos lugares eu vou estar sozinho ou não, mas querendo você completando a paisagem e o meu corpo? Quantas mãos vão se enlaçar nas minhas sem que as linhas sigam o mesmo rumo? Quantas línguas vão me lembrar de que ninguém fala a minha língua tão bem quanto a sua? Quantos perfumes baratos ou não eu vou sentir só para ter certeza de que eu nunca me esqueci do seu? Quantos pés eu vou precisar beijar para chorar pelos caminhos que tomaram os seus? Quantas mulheres chegarão até mim com mantos e cetros e eu precisarei afirmar que só tive, tenho e terei uma princesa em meu reino? Quantos cabelos precisam tocar meu rosto para me trazer exatamente a combinação de textura, aroma e cor nunca mais vista por mim? Quantas mulheres eu ainda vou chamar pelo seu nome? Em quantas mulheres eu vou colocar mil defeitos depois de ter conhecido e vivido a sua perfeição? Quantos lábios vão gritar que não é você quem está no meu beijo?


Comentar Seja o primeiro a comentar

29/01/2015 - Quantas vidas?

Quantas vidas eu vou precisar para lhe esquecer? Quantas vidas vão ser precisar para apagar todas essas marcas? Quantas vidas ainda vão se levantar contra tudo o que sonho? Quantas vidas se enfileirarão em minha frente e cairão uma a uma feito peças de dominó? Quantas vidas ainda vão ser necessárias para me dizer que eu sou só? Quantas vidas vão desaparecer sem que eu consiga vive-las por completo? Quantas vidas eu chamarei de saudade? Quantas vidas de expectativas serão mais cedo ou mais tarde trocadas por menos do que esperei? Quantas vidas hão de ser postas à prova sem que eu possa fraquejar? Quantas vidas serão escritas para mim romanceadas platonicamente? Quantas vidas eu terei de morrer para viver de verdade?


Comentar Seja o primeiro a comentar

15/12/2010 - Quantidades e qualidades

De quantas cenas é feito o seu cinema? De quantas trovas é feito o seu poema? De quantas mulheres é feita a sua fêmea? De quantas colombinas é feito o seu carnaval? De quantos partos é feito o seu pré-natal? De quantas velas é feita a sua nau? De quantos cavalheirismos é feita a sua dama? De quantos gemidos é feita a sua cama? De quantas histórias é feito o seu drama?

De quantas crendices é feita a sua fé? De quantos passos é feito o seu pé? De quantas bocas é feito o seu canapé? De quantos ladrões é feito o seu crime? De quantos reflexos é feita a sua vitrine? De quantos laços é feito o seu biquíni? De quanta hipocrisia é feita a sua mentira? De quanta raiva é feita a sua ira? De quantas notas é feita a sua lira? ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/09/2013 - Quantitante

Por quantas vidas eu passei? Quantas memórias eu deixei? Por quantos caminhos eu sonhei? Quantos corpos eu habitei? Por quantas estradas eu me larguei? Quantas promessas eu quebrei? Por quantos labirintos eu adentrei? Quantos sonhos eu plantei? Por quantas vezes eu falhei? Quantas esperanças eu fecundei?

Por quantos erros eu acertei? Quantos corações eu queimei? Por quantas semanas eu jejuei? Quantas histórias eu apaguei? Por quantos céus eu voei? Quantas bocas eu calei? Por quantos destinos eu naveguei? Quantas guerras eu ignorei? Por quantas linhas eu cruzei? Quantas personagens eu matei? Por quantos nomes eu atuei?...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5   Seguinte   Ultima