Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 167 textos. Exibindo página 17 de 17.

Outra vez

Conheci a derrota
Por acaso
Nada de combinações
Ou destinos
Pré-escritos.
Ela foi apresentada a mim
Pelo tempo
E o tempo anda
Como sabemos
Ao seu bel momento.
E eu e a derrota
Fomos ficando mais íntimos
Mais amantes
Que se odeiam e se desejam
Mais e mais
Dia a dia.
Se existe alegria?
Antes diria que não
Hoje, talvez.

Tombos e mais tombos
Mas sempre a vontade
De se levantar...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Outro capítulo

Os roteiros se confundem
Os paletós se misturam
Por entre os móveis escuros
E o tapete furta-cor.

O sorriso que não se sabe
Entre quadros
Entre pilastras
Entre bandeiras
Nos ares de ninguém.

A solidão do ator
Que não é pátria
Que não é símbolo
Que não é nada
Do que se pensou.

A tinta corre a fala
E o roteiro se joga nos braços da encenação
São tantas as personagens
São tantas as expressões...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

10/10/2014 - Outro enredo

Eu queria um texto
Pretexto de amor
Mas só veio tragédia
Comédia e rancor
Nada de romance
Na minha nuance
Picharam meu mote
Acabaram de morte
Com meu final feliz
Roubaram até a fé
Na minha imperatriz
E agora
O melhor é dar o fora
Com a vida por um triz


Comentar Seja o primeiro a comentar

Outrora

Morena da alma infante
Faz-me errante
Nestas vestes ingênuas
Ah! Minha morena
Lembro do teu sorriso
E guardo em silêncio rijo
Um pouco do teu olhar
Onde brilhava uma criança
Que se perdeu no tempo
Outrora passou
E o ontem não mais voltou.

Procuro você na saudade
Mas me deparo com a maldade
Que o destino me fez
Era menina para suportar meu amor
Tornou-se mulher ainda menina
No fascínio que dolente me atina...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Outros planos

Alguém
Proteja-me
Desse desejo
Arrebatador
De mudar os planos
E partir
Rumo aos anos
Que se perderam de mim.

Alguém
Proteja-me
Desse festejo
Em teu louvor
Que me causa danos
E me faz assumir
Meus enganos
Arrependido de mim.

Alguém
Proteja-me
Desse beijo
Sem cor
Que desumano
Faz-me fugir
Ao mais suburbano
Do que há em mim.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Overdose

O sol de janeiro
Se divorciou
Dos céus e fugiu
Tomou um barqueiro
E sumiu
Nos braços de um rio

Será que ele se internou
No lume de um farol
Num feixe de trigo
Debaixo de um lençol
Ou em outro abrigo?

Será que o sol
Está nas inflexões
De um modista
Dentro do espelho?

Será que o sol
Está nas mãos
De um malabarista
De sinal vermelho?

Será que o sol
Na busca pela lua...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Ovulação

Em cada mulher
Que corre
De salto ou descalça
Pelo mundo afora
Em caminhos
Obtusos
Há um óvulo
De mulher amada
Pronto para ser fecundado.

São tantos os que de beija-flores
Aos anjos renegados
Voam e tropeçam e rastejam
Na tentativa de vingar
Essa mulher ainda não nascida.

E são tantos flertes
Tantos ramalhetes de olhares
De flores e de palavras
E são tantos golpes...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   13  14  15  16  17