Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 20 textos. Exibindo página 1 de 2.

19/01/2017 - Juntos mesmo que não

Para além das estrelas
Ainda estaremos juntos.
Independente se vá,
Do que quer que venha
Eu ainda posso tê-la
Mesmo que tenha
Um infinito entre nós.
Sentir em conjunto
É a nossa senha
O que dá esse nó
E não nos deixa só
Mesmo que a distância
E o tempo insistam
E mintam
Que não há esperança.


Comentar Seja o primeiro a comentar

28/05/2016 - Juntos mesmos sós

Vou amanhecendo
Por amanhecer
Vou revivendo
O que não posso
Mais viver
Vou querendo
O que não posso
Mais querer
E então me calo
Nada falo
Senão escrevo
E me vejo
Novamente
Em seus braços
Em seus passos
Tão somente
Nas histórias
Que escrevo
Nas memórias
Do que fomos
Do que somos
Da não despedida
De um romance
De tantas nuances
Há coisas na vida...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

18/12/2015 - Jogos e laços

O mundo gira
E eu acabo
Por inteiro
Novamente
Nos seus braços

O arqueiro
Acende a pira
Eu reabro
Oficialmente
Jogos e laços


Comentar Seja o primeiro a comentar

16/12/2015 - Juntos e sós

Farejo seu corpo
Vejo as linhas
Das minhas
Mãos no sopro
Dos seus lábios
Nos www
Que conectam
Meus sites
Aos seus
Em insights
E me infectam
De anti-adeus
A cada sinal
Seu que caço
E acho
No vendaval
Que somos nós
Juntos e sós


Comentários Comentários (1)

17/10/2015 - Joga-se em mim

Vem pro meu lado que eu lhe seguro
Se pender pra cá juro que não vai cair
Deixa de ficar em cima desse muro
Nem todo encontro é pra se despedir

Olha, dos meus braços só escapa se quiser
Sou árvore verde, perfumada e sem visgo
Pode passar, pousar, ficar pássara-mulher
Fazendo de mim sua liberdade, seu abrigo

No meu balançado hei de lhe embalar
Não há o que temer; Larga de bobagem
Sem dar o primeiro salto nunca vai voar ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

15/01/2015 - Junto e espanto

Quando sozinho, junto
E ao lado de, espanto
Sou de alta voltagem
Não dou assunto
Dou choque
Pro seu grande espanto
Não, não provoque
Meu pranto

Se quiser ser meu bem
Seja meu acalanto
Sabendo também
Ser um tsunami ameno
Pois meu silêncio é meu canto
E quando me apequeno
É que me agiganto


Comentar Seja o primeiro a comentar

29/11/2014 - Jaz

Eu daria tudo
Meu mundo
Meu teto meu feto
Minha nuca
Minha busca
Meus retratos
Meus fatos e contrafatos
Minhas partes
Meu todo
Minhas artes
Meu soldo
Meu Marte
Meus medos
Meus enredos
Meus casais
Meu apogeu
Por uma hora a mais
Com quem em meu eu
Jaz


Comentar Seja o primeiro a comentar

23/06/2014 - Jeito do mato

Eu tenho esse jeito do mato
Essa alma, de fato, caipira
Tenho seiva nos olhos
E água do ribeirão nas veias
Eu tenho pulmão de corruíra
E um retrato verde no fundão
Das retinas
E um cardume de lambari
Beliscando meu coração
Tenho pé de vento
E mão de violeiro
Vejo a lua como uma menina
Sinto o seu perfume
E a ela faço minhas toadas
E a chamo de namorada
Dando-lhe um buquê de vagalumes
E meus passos nesse estradão...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

16/01/2014 -

Eu já me doei
Já me entreguei
Já me doí
Já me torturei
Já me entristeci
Já me esperancei
Já me vali
E já falei
Confessei
E até gritei
O quanto te amo
Te amei e amarei
Eu já me enlouqueci
Eu já te pedi
E até te implorei
Eu já te chamei
Já te aclamei
Já te defendi
E bendizi
Eu já chorei
Eu já me jurei
E perjurei
A você
Eu já me perdi
Só não posso...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

Janeiro

De frente
Ao rio
Que corre
Janeiro
Seu lugar
Está vazio
Feito
Um velho
Candeeiro.

A imbaúba
Perdeu a conta
De quantas vezes
Você não veio
Não há rastros
De batom
E a lua pulou no rio
Feito pedra de crepom.


Comentar Seja o primeiro a comentar

      1  2   Seguinte   Ultima