Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 217 textos. Exibindo página 5 de 22.

18/06/2014 - Capisco?

Desculpe
Me culpe
Não existo
Non capisco


Comentar Seja o primeiro a comentar

Capuzes

Cortinas de sombras
Escondem seu rosto
Quando lhe cerco em olhares
Capuzes recaem sobre os traços
Que constroem sua face
Alguns nascem à luz
E logo se acabam
Numa poça escura
Onde nada se encontra
A fuga é o esconderijo
Dos aflitos que se acovardam
Em atos banais
Querer vedar-me as suas reações
É mais que o fato incrédulo
Que tripudia na face maleável
Ir longe, ir para sempre
É questão de não poder ficar...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Cardeal

Cardeal cantou
No galho do ipê
Olho correu pra vê,
Mas no ipê não tinha flor
Nem sombra
Da milonga
De um primeiro amor.

Cardeal feito cobra coral
Corria preto branco vermelho,
Cardeal lá no quintal
Cantou
Mais um dia que acabou
Com um sol a se propor
Por entres os cabelos
De uma lua furta-cor.

Cardeal pedia esmola
Ganhava farelo
Voava na escola
Fugia da vara de marmelo...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

12/08/2014 - Carente

Ando mais fragilizado do que de costume
Ando deixado de lado por qualquer coisa
Ando sendo esquecido a toda hora
Ando exilado, ignorado, jogado fora
Anjo abandonado
Carente de ser amado
Anjo despedaçado
Carente de ser cuidado
Anjo rejeitado
Carente de ser olhado
Acolhido, beijado
Ou simplesmente ser confiado
A alguns segundos de atenção

Ando mais desapontado do que costume
Ando chorado por dentro por qualquer coisa...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Carne e costela

Eu sou
Tua carne
Nasci da tua costela
Sou teu homem
Teu crime e teu dolo
Teu sonhador
O poeta da tua janela
E o pássaro
Que se aninhou em teu colo

Ah! Eu lhe imploro
Corte as minhas asas
Queime a minha casa
Enterre-me em cova rasa
Mas não me abandone
Neste céu azul
De Olorum

Sem teu zunzunzum
Eu não sei mais voar
Sem você
Eu não quero chegar
Em lugar algum...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

13/12/2013 - Carpe diem

Eu vivo o agora
Não faço planos
Não crio expectativas
Recorto o presente
E vivo-o intensamente
O passado já descora
E o futuro é engano
Todas minhas oitivas
São de carpe diem
Não adio, não adiem
Seu sonho, seus sonhos
Nada de olhos tristonhos
Vivamos já o agora
Num beijo de amora
Doce, forte, colorido
Esqueça do amanhã
Viva o que é pra ser vivido
Agora, nesta manhã
Agora, me namora...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Carregos

Sol sem vontade
Chuva sem pressa
Amanheceu nublado
E uma gente sem saudade
Caminha de birita
Em birita.
Uma gente sem promessa
Ou qualquer outra certeza
Deixa a cidade
Trocando passos
Nos percalços da solidão.
Uma gente maldita
Que saqueia
Os traços sérios
De uma tristeza
Que tonteia.


Comentar Seja o primeiro a comentar

Carretel de maranhão

Está cada vez mais longe o dia
Da gente se encontrar
O calendário anda ao contrário
Quando se vê encurralado
Ameaçado
De se acabar
Antes do fim.
Antes do fim
Eu risquei dias sem lhe ver
E apaguei
Quando vi que riscava
O dia de amanhã
Eu programei o despertador
E o alarme disparou
Ontem.
Ontem
Eu acordei anteontem
Pensando que era futuro
Futuro do passado
E mais uma vez
Nós dois...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

14/06/2015 - Carro de boi

Oi oi ôôôôô oi
Ói que lá vem
O carro de boi
Gemendo alto
Por um chão
Que não sabe
O que é asfalto
Numa belezura
De toda cor
Que não cabe
Explicação
De criador
Ou criatura

Ói bem assunta
As quatro juntas
Tendo como guia
Boi amendoim
E boi virgulino
Na tocada do dia
Couro carmim
Porte forte
Vindos do norte
E passo fino
Oi oi ôôôôô oi...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Carta de inverno

Se eu, minha querida,
Soubesse que você pegaria o último vôo
Do inverno
Com destino ao que não lhe destina
Eu jamais teria a deixado
Partir...
Mas eu não sabia
Soube disso dias atrás
Quando me dei conta
De que o inverno acabou
Que a primavera não veio
Por uma razão ainda não conhecida...
Ai, é tão frio pensar
Que o verão é só o ardume
De uma estrela de 4,5 bilhão de anos
E você, toda dona de si,
Nem me avisou...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Primeira   Anterior   3  4  5  6  7   Seguinte   Ultima