Daniel Campos

Ou exibir apenas títulos iniciados por:

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z  todos

Ordernar por: mais novos   título

Encontrados 45 textos. Exibindo página 5 de 5.

Iroko i só! eeró! (trecho III)

"Eu sou de Iroko
Iroko não falha
Eu sou de Iroko
Iroko não falha

Conforme a velha cantava, o vento trazia o som de tambores. Plutão, Vladimir, e os dois vira-latas, seguem atrás em feitio de cortejo. Não havia latido nem miados. Só um vento forte que deitava capins, levantava folhas e trazia sons de tambores. Podia ser batidas vindas do sítio vizinho, mas mãe Zizinha, depositando o vaso aos pés da árvore, garantia que aquele som vinha de um terreiro do Rio de Janeiro, onde ela era ialorixá. Ela havia fechado o terreiro para viver só com Iroko, mas os tambores continuavam. E aquele vento era a manifestação do amor de Iroko por ela. ...
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Iroko i só! eeró! (trecho IV)

"Bruxa, meia diabo, meia mué, Deus te dá cabo, dá cabeça aos pé. Na minha casa tu não hás de vir, nem onde nenhuma criança estiver. Em nome de Deus e de Nossa Senhora de Aparecida. Amém.

Era assim que Dona Leontina, uma senhora grandes olheiras, rezava toda vez que era obrigada a passar perto de mãe Zizinha.

Essa mulher é a coisa ruim em pessoa. Sinto minha espinha arrepiada toda vez que ela se aproxima. Uma vez ela passou lá em casa, vendendo seus bordados, eu não quis comprar. A expulsei de lá. Você acredita que no que ela virou às costas, um pé de rosa vermelha que eu tinha na frente de casa secou. Foi num piscar de olho. Nunca vi coisa daquela. Graças a Nossa Senhora Aparecida ela nunca passou do portão lá de casa. Sabe moço, teve gente que a convidou para entrar e a família inteira morreu"....
continuar a ler


Comentar Seja o primeiro a comentar

Iroko i só! eeró! (trecho V)

"Com um vestido azul e uma sandália rasteira dona Olga pega um terço de contas grandes e começa a rezar. Silêncio. Falso silêncio. Os murmúrios de dona Olga parecem se comunicar com o choro da pequena Eduarda. Estamos todos em pé no centro da sala de dona Olga, que tinha um crucifixo de madeira na parede e algumas imagens de santo. São José. São Bento. Santo Antônio. São Francisco. E várias imagens da Virgem Maria. Ao lado de Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora das Graças e Nossa Senhora Desatadora dos Nós. Embora de tamanhos e estilos diferentes, as imagens ficavam sob uma mesinha de pernas de pau em um dos cantos da sala."...
continuar a ler


Comentários Comentários (1)

08/01/2014 - Irradiação

Irradia amor por todos os plexos. Irradia o mistério do universo. Irradia o que ninguém pode contar. Irradia o segredo do espaço. Irradia o místico, o mágico, o sublime. Irradia o que ainda não conhece. Irradia para além da sua compreensão. Irradia forças de origens diferentes. Irradia uma ancestralidade rica e única. Irradia matas, mares, pedreiras... Irradia para além dos campos da ciência. Irradia energias iniciáticas. Irradia o contato com outros planos. Irradia raios nativos. Irradia o que é bendito. Irradia para curar, para libertar, para desintegrar e reintegrar. Irradia para o bem do outro que você sabe ou não quem é. Irradia toda pureza do seu íntimo. Irradia sendo instrumento e parte de um trabalho maior. Irradia em feitio de prece, de prece viva. Irradia se entregando. Irradia indo longe sem sair do lugar. Irradia por paz, felicidade, perdão... Irradia por harmonia, sintonia, elevação... Irradia seguindo um ritual coletivo ou particular. Irradia transformando o negativo em positivo. Irradia sem pensar ou querer mais nada, sendo, por inteiro, um núcleo de irradiação.


Comentar Seja o primeiro a comentar

02/03/2014 - Isolamento

Corra pelo campo falando, gritando que me ama. Molha seus pés lembrando do quanto os beijei e se arrepia. Respira o ar puro e aflora em teus lábios o sabor dos meus beijos, sim deixa o vento levantar o fogo dos beijos dados e nunca passados. Deita na cama querendo deitar em meu peito. Nada como que dando braçadas e mais braçadas em meus olhos. Divida cada um de seus momentos, mesmo que mentalmente, comigo. Olha para o céu e pergunta para a lua como estou, pois é a mesma lua que a ti vou. Anda pelas matas sabendo que ando contigo naquela força, naquele verde, naquela essência. Durma e me encontre vestido de sonho a sua espera. Escuta o que as estrelas têm para lhe dizer sobre o nosso destino, presta atenção nos mapas que elas vão lhe indicar. Fecha os olhos, estica os braços e venha me buscar. Faça da saudade uma motivadora de atitudes. Sorria por nada só por saber o quanto eu gosto de você sorrindo. Aproveita da quietude ao seu redor e lembra e imagina. Toca o ar como se tocasse meu rosto. Mistura-se às flores. Eleva seus pensamentos e fique a sós com seus sentimentos. Apura esta voz interior e deixa ela lhe conduzir por onde tem de ir. Respira fundo e se joga em cada segundo do seu mundo particular.


Comentários Comentários (1)

Primeira   Anterior   1  2  3  4  5